BNDES aprova R$59,4 milhões para unidade de biocombustível de madeira no RS

Recursos do BNDES correspondem a 39,5% do investimento total no projeto

BNDES  e o balanço

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento no valor de R$ 59,4 milhões à Tanac para implantação de uma fábrica de pellets de madeira. Produzidos a partir da compressão de serragem de madeira em formato de granulados cilíndricos, os pellets são um biocombustível amplamente usado na Europa e nos Estados Unidos em substituição aos combustíveis fósseis, seguindo compromisso dos signatários do protocolo de Quioto no que diz respeito à redução dos gases de efeito estufa.

O empreendimento, na cidade de Rio Grande (RS), terá capacidade de produção de 350 mil toneladas/ano. Os recursos do BNDES correspondem a 39,5% do investimento total no projeto e serão repassados ao cliente final por meio dos agentes financeiros Itaú e Bradesco.

A nova unidade será a maior produtora de pellets da América Latina, e a primeira unidade do mundo a produzir a partir da madeira de acácia negra. A previsão é de que sejam gerados 1.100 empregos diretos e indiretos durante a execução do projeto e outros 340 postos diretos e indiretos após a sua conclusão.

O empreendimento deve ainda fortalecer a economia da região e contribuir positivamente para o saldo da balança comercial brasileira, uma vez que o produto destina-se à exportação e há perspectiva de crescimento do mercado na Europa no médio e longo prazo.

A atividade de acaciacultura da Tanac integra cerca de 4 mil famílias no Rio Grande do Sul, que contam com um programa de apoio técnico para produtores de mudas e transferência de tecnologia para a formação de florestas de qualidade, adotando um manejo ambiental adequado.

Atualmente a empresa conta com três unidades industriais no Estado: uma, também em Rio Grande, de cavacos para a indústria de celulose; uma unidade de tanino em Montenegro; e a unidade florestal Tanagro , com fazendas em vários municípios.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia