Etanol poderá ser a solução para gerar hidrogênio

O cultivo da cana-de-açúcar se tornou fundamental para a geração de renda e emprego no Brasil

Etanol e a Associação

O etanol poderá ser a solução para gerar hidrogênio, considerado o combustível do futuro. Esse foi o tema entre os representantes do setor sucroalcooleiro, durante solenidade comemorativa aos 65 anos de fundação da Associação dos Fornecedores de Cana de Guariba (Socicana), em Guariba/SP, na última sexta-feira (16).

O hidrogênio é o combustível utilizado em células de combustíveis em automóveis, que poderá ser obtido por meio da cadeia produtiva do álcool. O processo começa quando o etanol é aquecido e bombeado para o interior de um reator, onde o catalisador estimula uma série de reações químicas que, ao final, geram um gás com elevado teor de hidrogênio.

Os gases residuais, como o monóxido de carbono, dióxido de carbono e metano, são removidos e o hidrogénio é purificado. “Quando é usado o álcool, uma fonte renovável, ocorre um processo sustentável do ponto de vista ecológico, ao contrário do gás natural, um combustível fóssil”, disse o secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim.

“Os automóveis talvez possam um dia rodar com hidrogênio produzido a partir de cana-de-açúcar. Tudo depende, porém, de tornar mais eficiente a reação química que extrai do etanol o gás hidrogênio, normalmente fabricado a partir de gás natural”, comentou o presidente da Datagro, Plínio Nastari.

O segmento já contribui para ser a vanguarda da economia verde. O Estado de São Paulo tem potencial para ser líder na geração de bioenergia a partir do bagaço e da palha da cana-de-açúcar. No Brasil, cerca de 80% da bioenergia é originada de resíduos da cana-de-açúcar, o que garante autossuficiência energética das usinas durante o período de safra. “Precisamos converter os desafios em oportunidades. Temos capacidade de sermos referência em energia limpa, conforme nos orienta o governador Geraldo Alckmin”, disse o secretário de Agricultura.

Olhar para o passado

A produção canavieira foi importante para o desenvolvimento da economia nacional e, atualmente, é um dos setores do agronegócio mais promissores para o País. O cultivo da cana-de-açúcar se tornou fundamental para a geração de renda e emprego no Brasil.

Esse passado ajudou a fazer o presente. Nastari ressaltou que por conta do desenvolvimento do setor, na década de 70 surgiu o Programa Nacional do Álcool (Proálcool), criado como uma iniciativa do governo do Brasil para enfrentar a crise mundial do Petróleo e incentivar a produção de álcool combustível. “Essa atitude teve como fator determinante a crise mundial do petróleo, pois o preço do produto estava muito elevado e passou a ter grande peso nas importações do País, contribuindo para do crescimento do setor”, disse.

Atualmente, o Estado de São Paulo é o maior consumidor e produtor de açúcar e etanol do País. “Dois terços da produção de açúcar, e mais da metade do etanol produzido no Brasil são paulistas. Isso se deve aos esforços de toda a cadeia produtiva”, comentou Arnaldo Jardim.

O Estado tem o menor Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para a venda do etanol hidratado do Brasil, de 12%, além de oferecer isenção fiscal para o retrofit de caldeiras e turbinas para incentivar a cogeração, simplificando a cadeia tributária do setor.

Auditório “Antônio José Rodrigues Filho”

Como parte da solenidade, a Socicana inaugurou seu novo auditório, batizado com o nome de seu primeiro presidente, Antônio José Rodrigues Filho, além da galeria dos ex-presidentes da entidade.

O coordenador do Centro de Agronegócios da Fundação Getúlio Vargas (FGV), e ex-ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, filho do homenageado in memoriam, agradeceu a diretoria e ressaltou que a ação é um reconhecimento “aos heróis do passado, que contribuíram para o crescimento da entidade e para o fortalecimento do setor”.

Socicana

A Socicana foi fundada em 15 de fevereiro de 1951 e é em um órgão de representação da classe produtora canavieira, com o objetivo de promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável dos produtores de cana-de-açúcar, por meio dos serviços ao associado, atuação na defesa de seus direitos e fortalecimento do associativismo.

“A Associação é um exemplo de trabalho e fomento do cooperativismo e do associativismo, auxiliando nossos associados a produzir com sustentabilidade, aumentando sua produtividade, e contribuindo para o crescimento da nossa economia”, comentou o presidente da Socicana, Bruno Rangel Geraldo Martins.

O titular da Pasta lembrou da importância da Entidade e ressaltou que o setor é uma cadeia produtiva completa, pois contribui para o desenvolvimento econômico, social e sustentável. “A história da Socicana se confunde com a da cultura da cana-de-açúcar. São mais de seis décadas de atuação para promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável dos produtores de cana-de-açúcar, fortalecimento o cooperativismo e o associativismo”, destacou.

O exemplo de trabalho da Socicana reflete no respeito de seus associados, como explicou o produtor rural e representante da Usina São Martinho, de Pradópolis, Mário Ortiz Gandini. Para ele, a Associação foi fundamental para ajudar os produtores rurais a se organizarem e melhorar o desempenho de suas atividades agrícolas. “É um relacionamento de sucesso, pois a entidade nos oferece o suporte necessário para ampliarmos nossa produção, de forma inteligente e sustentável” disse

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia