Volume de etanol atinge 1,6 bilhões de litros na primeira quinzena de setembro, diz UNICA

Volume comercializado de etanol anidro totalizou 406,38 milhões de litros

Nova matéria-prima

O volume processado de cana-de-açúcar pelas unidades produtoras da região Centro-Sul somou 37,67 milhões de toneladas de cana na 1ª quinzena de setembro de 2016. Com esse resultado, a produção de açúcar totalizou 2,4 milhões de toneladas e o volume fabricado de etanol atingiu 1,6 bilhões de litros, dos quais 705,3 milhões de litros de anidro e 893,8 milhões de hidratado. Os dados são da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (UNICA) divulgados hoje.

As vendas de etanol pelas unidades produtoras da região Centro-Sul somaram 1,17 bilhão de litros na primeira metade de setembro, sendo 88,26 milhões de litros destinados à exportação e 1,08 bilhão de litros ao mercado doméstico. Nesse mercado, o volume comercializado de etanol anidro totalizou 406,38 milhões de litros, enquanto as vendas de etanol hidratado atingiram 679,10 milhões de litros.

Em relação à produtividade agrícola, dados preliminares apurados pelo Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) indicam que na primeira quinzena de setembro em comparação ao mesmo período de 2015, a quebra agrícola variou de 1,48% em Minas Gerais a 15,83% no Estado de Goiás, para uma amostra comum de aproximadamente 113 unidades produtoras. Os dados efetivos para o mês de setembro serão confirmados no próximo release.

Desde o início de abril até 16 de setembro, o volume processado de cana totalizou 431,32 milhões de toneladas, com uma produção de 24,82 milhões de toneladas de açúcar e 18,06 bilhões de litros de etanol (7,44 bilhões de anidro e 10,61 bilhões de hidratado).

No acumulado da safra, a qualidade da matéria-prima no Estado de São Paulo registrou um decréscimo de 1,09% em relação àquela observada no ciclo anterior. O teor de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) foi de 129,38 kg por tonelada ante 130,81 kg por tonelada apurada em 2015/2016. No Centro-Sul, o ATR permanece no mesmo nível registrado da última safra, com uma leve variação de 0,29% (131,63 kg versus 131,25 kg em 2016).
Mantido o ritmo de produção observado até o momento e a tendência de queda na produtividade agrícola da lavoura colhida, a moagem final da safra 2016/2017 deve ficar próxima do limite inferior publicado na estimativa divulgada pela UNICA em abril deste ano. Nessa linha, a produção final de açúcar deve atingir valor próximo do limite superior divulgado e a produção de etanol, por sua vez, deve ficar aquém do mínimo estimado, com destaque para a retração na oferta de etanol hidratado. Para conferir a apresentação da estimativa de safra da UNICA, realizada em abril/16.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia