Aneel abre audiência pública para discutir revisão tarifária da CHESP

A revisão das tarifas será aplicada a partir de 22 de novembro de 2016

Descontos em duas etapas

A ANEEL aprovou hoje audiência pública para discutir com a sociedade proposta da Quarta Revisão Tarifária Periódica da Companhia Hidroelétrica São Patrício, que atende 35 mil unidades consumidoras localizadas no estado de Goiás.

Confira as propostas para os Grupos de Consumo*:

Alta tensão em média (indústrias), com variação negativa de 15,04%;
Baixa tensão em média (residências), com variação negativa em 4,82%;
Média (baixa tensão e alta tensão), com variação negativa em 6,71%.

Os índices finais somente serão conhecidos em novembro, quando o assunto será deliberado pela Diretoria da Agência em Reunião Pública Ordinária. A revisão das tarifas será aplicada a partir de 22 de novembro de 2016.

A revisão tarifária periódica reposiciona as tarifas cobradas dos consumidores após analisar os custos eficientes e os investimentos prudentes para a prestação dos serviços de distribuição de energia elétrica, em intervalo médio de quatro anos.

Os limites de *DEC e **FEC da distribuidora para o período de 2017 a 2021 também estão em audiência. Os interessados podem enviar as sugestões no período de 8/9/16 a 10/10/16 para o endereço: ANEEL – SGAN Quadra 603 – Módulo I Térreo/Protocolo Geral, CEP 70.830-110, Brasília–DF, ou para os seguintes e-mails:

ap055_2016rv@aneel.gov.br – tema Revisão Tarifária;
ap055_2016et@aneel.gov.br – tema Estrutura Tarifária;
ap055_2016pt@aneel.gov.br – tema Perdas Técnicas;
ap055_2016ic@aneel.gov.br – tema Indicadores de Continuidade (DEC e FEC)

No dia 29/9/16 será realizada sessão presencial da audiência na ACICER-Associação Comercial e Industrial de Ceres e Rialma, situada na Avenida Brasil, Nº 703, Centro, Ceres – GO, de 9h30 às 12h.

O efeito médio da alta tensão refere-se às classes A1 (>= 230 kV), A2 (de 88 a 138 kV), A3 (69 kV) e A4 (de 2,3 a 25 kV). Para a baixa tensão, a média engloba as classes B1 (Residencial e subclasse residencial baixa renda); B2 (Rural: subclasses, como agropecuária, cooperativa de eletrificação rural, indústria rural, serviço público de irrigação rural); B3 (Industrial, comercial, serviços e outras atividades, poder público, serviço público e consumo próprio); e B4 (Iluminação pública).

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia