ANEEL aprova novos reajustes de tarifas

Consumidores residenciais da Celesc Distribuição terão reajuste de 3,63%

Novas decisões

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aprovou hoje, os reajustes tarifários de várias empresas de energia do País, tanto para consumidores industriais como para residenciais.

A começar pela  Celesc Distribuição, que para os consumidores residenciais (Classe B1) o reajuste será de 3,63%. Os novos valores serão aplicados a partir de sexta-feira (7) para 2,7 milhões de unidades consumidoras localizadas em 260 municípios de Santa Catarina e um do Paraná (Rio Negro).

Para os clientes de alta tensão, a variação será de 3,59%. Para baixa tensão, a variação será de 3,63%. Média (baixa tensão e alta tensão), 3,61%.

Já para a concessionária Espírito Santo Centrais Elétricas, os consumidores residenciais (Classe B1), terão reajuste de 2,52% e que passarão a vigorar também no próximo dia 7 para 1,5 milhão de unidades consumidoras localizadas em 70 municípios do Espírito Santo.

Efeito para alta tensão (indústrias) será de 1,68%. Baixa tensão, 2,29%. Média (baixa tensão e alta tensão), 2,04%.

Os consumidores da Iguaçu Distribuidora de Energia Elétrica (Ienergia) terão valores reajustados na sexta-feira, sendo que para os residenciais (Classe B1) o índice será de 15,53%.  São 33 mil unidades consumidoras localizadas em nove municípios no Oeste de Santa Catarina.

Efeito para alta tensão (indústrias), 16,12%. Para baixa tensão será de 15,53%. Média (baixa tensão e média tensão), 15,78%.

Para a Celpa, a ANEEL aprovou revisão tarifária periódica (RTP) para a concessionária que atende 2,1 milhões de unidades consumidoras localizadas em 183 municípios do Pará. Para os consumidores residenciais (Classe B1) o índice é de 6,29% e será aplicado na tarifa a partir de 7 de agosto de 2015.

Efeito para alta tensão (indústrias), 10,22%. Para baixa tensão, 6,30%. Média (baixa tensão e média tensão), 7,47%.

As regras da RTP foram aprovadas em 28/4/15. A revisão reposiciona as tarifas cobradas dos consumidores após analisar os custos eficientes e os investimentos prudentes para a prestação dos serviços de distribuição de energia elétrica, em intervalo médio de quatro anos. Na revisão também são estabelecidos os limites de DEC e FEC da distribuidora para o período 2016-2019.

A revisão da Celpa foi tema da audiência pública 29/2015 e contou com uma sessão presencial em Belém (PA), no dia 11/6, que teve cerca de 60 participantes.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia