Queda de consumo e geração de energia em março foi de 1,4%

Usinas movidas à biomassa voltam a registrar índices positivos e têm aumento de 7,2% em relação ao ano passado

Geração eólica

Dados preliminares de medição coletados entre os dias 1º e 30 de março apontam redução de 1,4% no consumo e geração de energia elétrica no país, na comparação com o mesmo mês de 2014. Os números constam da mais recente edição do boletim InfoMercado Semanal, da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE, que traz informações sobre geração e consumo de energia, além da posição contratual líquida atual dos consumidores livres e especiais.

Na análise do desempenho da geração de energia, foram registrados 63.472 MW médios entregues ao sistema, com destaque para as usinas movidas à biomassa, que voltaram a registrar aumento na produção (+7,2%), e as plantas eólicas, que mantiveram o ritmo de crescimento e registraram 1.517 MW médios, 98% a mais que em março passado. Já as hidrelétricas e pequenas centrais hidrelétricas – PCHs produziram 46.109 MW médios, uma queda de 4,33% em relação a 2014. A geração hídrica representou 72,65% da produção total de energia no país em março/15, índice 2,2 pontos percentuais menor que o registrado no ano passado.

Durante março, o consumo no mercado cativo, no qual os consumidores são atendidos pelas distribuidoras, atingiu 46.174 MW médios, número 0,12% acima dos registros do mesmo mês do ano passado. Já no mercado livre, no qual os consumidores compram energia diretamente dos fornecedores, foi registrada redução de 6,37%.

Dentre os segmentos industriais que adquirem energia no Ambiente de Contratação Livre – ACL, os setores de extração de minerais metálicos (13,5%) e telecomunicações (9,2%) seguem registrando as maiores elevações do consumo frente a março do ano passado. Os setores com menor consumo, por sua vez, foram os de saneamento (-20%), bebidas (-19,7%), e veículos (-14,6%).

Também foi registrada, em março deste ano, queda na geração (-37%) e no consumo (-12%) de energia pelos agentes autoprodutores – empresas que, devido à grande demanda por energia elétrica, investem em usinas próprias. Ainda assim, destaca-se um relevante aumento no consumo das empresas autoprodutoras que atuam nos segmentos de serviços (+36,6%), extração de minerais metálicos (+25,5%) e madeira, papel e celulose (+20%).

O InfoMercado semanal também apresenta a estimativa de que as usinas hidrelétricas integrantes do Mecanismo de Realocação de Energia – MRE gerem o equivalente a 74,3% de suas garantias físicas, ou 43.176 MW médios em energia elétrica, na última semana de março.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia