Bovespa despenca 3,03% no caminho da China e IEE acompanha em -4,14%

Volume financeiro fechou acima da média em R$8,2 bilhões

China puxa mercados

A Bolsa de Valores de São Paulo despencou nesta segunda-feira, com a China promovendo as maiores quedas nos mercados globais desde a crise iniciada em 2008.

Ao final, o Ibovespa caiu 3,03% aos 44.336 pontos e o IEE perdeu 4,14% aos 25.364 pontos. O volume negociado ficou acima da média, R$8,2 bilhões.

O Shanghai Composite Index caiu 8,5% com as medidas de apoio do governo falhando em acalmar as preocupações dos investidores de que uma desaceleração na segunda maior economia do mundo chegou. Mais de 800 ações caíram por o limite diário de 10%, incluindo a China Shenhua Energy Co. e China Shipbuilding Industry Co. O indicador despencou 38% de seu pico de 12 de junho, acabando com mais de US$ 4 trilhões em valor. O Índice Topix do Japão entrou em correção.

“O pânico gerado por Shanghai, o que para alguns trata-se do ‘estouro da bolha’, acabou por contaminar os mercados globais. Todo o ganho zerou e o governo não sabe se vai conseguir segurar. A Bovespa, que já segue sensível com os problemas internos, também recuou. Os preços de petróleo, metais e outros pesaram diretamente na Vale, Petrobras, Usiminas e também em todas as elétricas”, explicou o analista de WhatsCall, Pedro Galdi.

Para esta terça-feira, o comportamento não deverá ser diferente e o analista recomenda cautela.” Amanhã, mesmo que o mercado dê um respiro, ainda é preciso cuidado, já que as agendas estão vazias e só ganham força a partir de quinta-feira. Os preços de alguns papéis para baixo acabam atraindo para a compra e agora não é momento de correr risco”, completou Galdi.

Ainda pela, a Bovespa ensaiou uma alta acima dos 45 mil pontos com o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, anunciando que o governo vai reduzir o número de ministérios, baixando de 39 para 29 o total de pastas. A medida faz parte de um pacote de reforma administrativa apresentado a ministros durante a reunião da coordenação política com a presidente Dilma Rousseff.

Os ministérios a serem extintos serão definidos até o fim de setembro por uma equipe do governo. “Nosso objetivo é chegar a uma meta de dez [ministérios]. Existem várias propostas possíveis para atingir essa meta. Precisamos ouvir todos os envolvidos, não tem nenhum ministério inicialmente apontado para ser extinto”, disse Barbosa.

O barril do Petróleo Intermediário do Texas (WTI, leve) fechou em forte queda de 5,46%, cotado a US$ 38,24, ficando abaixo da barreira de US$ 40 pela primeira vez em seis anos.

O barril de petróleo Brent para entrega em outubro fechou no mercado de futuros de Londres em forte baixa de 6,09%, cotado a US$ 42,69.

O petróleo do Mar do Norte terminou a sessão no International Exchange Futures (ICE) US$ 2,77 abaixo do valor da última sexta, que foi de US$ 45,46.

Nesta tarde, no IEE, apenas a Alupar UNT ficou em alta, 1,75% aos R$13,99.

Entre as maiores quedas no IEE estavam as ações da Cesp PNB (-6,38% a R$15,69); Cemig PN N1 (-9,40% a R$7,90); Eletropaulo PN (-8,31% a R$11,80); Eletrobras PNB (-6,38% a R$6,90); Energias do BR ON (-4,34% a R$11,23); Light ON (-4,87% a R$10,94); e Coelce PNA (3,78% a R$35,12).

Carteira teórica

Na carteira teórica do Índice Bovespa que passa a vigorar a partir de 05 de maio de 2015 a 4 de setembro de 2015 estão: Itauunibanco PN (11,144%), Bradesco PN (8,440%), Ambev S/A ON (7,378%), Petrobras PN (5,687%) e Petrobras ON (4,166).

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia