Bovespa encerra no vermelho e IEE perde 0,44%

Em dia de vencimento de opções, o volume financeiro ficou em R$6,8 bilhões

Arquivo:SE

A Bolsa de Valores de São Paulo fechou no vermelho nesta segunda-feira, com os negociadores mantendo aversão ao risco com o cenário político-econômico do País.

Ao final, o Ibovespa ficou em 1,42% aos 51.600 pontos e o IEE perdeu 0,44% aos 30.430 pontos. O giro financeiro foi de R$6,8 bilhões em dia de vencimento de opções.

O exercício de contratos de opções sobre ações movimentou, no segmento Bovespa, R$ 2,05 bilhões, dos quais R$ 886.894.101,50 em opções de compra e R$ 1.165.475.904,60 em opções de venda.

As opções que registraram o maior volume financeiro no exercício de hoje foram:

TUBE PN 33,04 por ação movimentou R$ 127,38 milhões em opções de venda;
ITUB PN 12,13 por ação movimentou R$ 73,38 milhões em opções de compra;
VALE PNA 14,60 por ação movimentou R$ 64,26 milhões em opções de compra;
CIEL ON 34,60 por ação movimentou R$ 58,82 milhões em opções de compra;
CIELE ON 51,77 por ação movimentou R$ 51,77 milhões em opções de venda.

“Na sessão de hoje não foi surpresa o recuo do Ibovespa. A Petrobras puxou a queda com os preços do petróleo. A Vale foi pressionada pelas commodities. Hoje, o vencimento de opções movimentou o volume, embora mais baixo. Nenhuma notícia relevante no cenário doméstico, apenas as ruins da política seguem contaminando”, disse o operador da corretora Renascença, Luiz Roberto Monteiro.

Entre as altas no IEE estavam as ações da Alupar N2 (2,97% a R$17,00); CPFL Energia ON (0,93% a R$19,62), Energias do Brasil ON (0,80% a R$12,55), Equatorial ON (0,11% a R$37,04); e AES Tietê PN (0,16% a R$18,45).

Na contramão no IEE estavam as ações da Cesp N1 (-0,20% a R$19,63); Coelce PNA (-0,37% a R$40,75); Eletrobras PNB (-1,63% a R$8,46); e Eletropaulo N2 (-3,26% a R$16,93).

Carteira teórica

Na carteira teórica do Índice Bovespa que passa a vigorar a partir de 05 de maio de 2015 a 4 de setembro de 2015 estão: Itauunibanco PN (11,144%), Bradesco PN (8,440%), Ambev S/A ON (7,378%), Petrobras PN (5,687%) e Petrobras ON (4,166).

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia