Bovespa escorrega 4,50% na semana e IEE acompanha em 4,63%

Volume financeiro ficou em R$5,9 bilhões

Recuando

A Bovespa encerrou a semana em queda de 4,50%, o segundo pior resultado do ano.  Nesta sexta-feira, o Ibovespa recuou 2,87% aos 48.577 pontos e o IEE recuou 4,63% na semana e hoje menos 1,55% aos 28.233 pontos. O giro financeiro foi de R$5,9 bilhões.

“A bolsa segue penalizada com o quadro político, principalmente com os ruídos sobre a saída do vice-presidente Michel Temer da coordenação política e, pior, a renúncia da presidente Dilma Rousseff. Sabemos que a Bovespa esta sendo sustentada ainda pela entrada de R$20 bilhões de capital estrangeiro no segundo trimestre, mas já saíram R$500 milhões. Se não fosse esse montante, com toda a certeza, a Bovespa estaria abaixo dos 45 mil pontos”, explicou o operador da corretora Renascença, Luiz Roberto Monteiro.

Hoje, em mais uma sessão, o IEE acabou no vermelho com as elétricas penalizadas pelos preços do petróleo no mercado internacional.

O barril do Brent, para entrega em setembro, fechou em baixa de 1,99% no mercado de futuros de Londres, cotado a US$ 48,62.

A queda se deu com as especulações sobre a desaceleração da economia da China e também com a previsão de que o Irã volte a vender petróleo quando forem derrubadas as sanções internacionais depois do acordo nuclear.

O barril do Petróleo Intermediário do Texas (WTI, leve) fechou em baixa de 1,76%, cotado a US$ 43,87, encerrando a semana com uma queda acumulada de 6,9%, o nível mais baixo em cinco meses.

Ao final da sessão na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), os contratos futuros do petróleo WTI para entrega em setembro caíram US$ 0,79 em relação ao fechamento da última quinta-feira.

Entre as altas no IEE estavam apenas as ações da Light ON (0,89% a R$13,57).

Na contramão no IEE estavam as ações da Alupar UNT (-2,33% a R$17,45); CPFL Energia ON (-0,75% a R$15,92); Eletrobras PNB (-2,01% a R$8,27); e AES Tietê PN (-2,23% a R$17,11).

Carteira teórica

Na carteira teórica do Índice Bovespa que passa a vigorar a partir de 05 de maio de 2015 a 4 de setembro de 2015 estão: Itauunibanco PN (11,144%), Bradesco PN (8,440%), Ambev S/A ON (7,378%), Petrobras PN (5,687%) e Petrobras ON (4,166).

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia