Bovespa fecha em queda e elétricas ficam pressionadas

Fluxo financeiro ficou abaixo da média, R$6,5 bilhões

Mercados no vermelho

A Bolsa de Valores de São Paulo fechou em queda nesta quarta-feira. O Ibovespa ficou em 1,32% aos 53.522 pontos o IEE ficou em -0,51% aos 30.745 pontos. O giro financeiro ficou em R$6,5 bilhões.

“Depois da forte alta da sessão de ontem, os recuos de hoje são normais com realização. A Petrobras devolveu, bem como a Vale e os bancos seguem puxados pelo aumento na contribuição do lucro líquido. Há também a cautela com o aumento na Selic e com o feriado amanhã”, avaliou o gerente de bolsa da corretora HCommcor, Ari Santos.

Com esse movimento, os papéis da elétricas foram pressionados, apesar de medidas de ajuda ao setor por parte do governo, considerou Santos.

Entre as altas no IEE estavam as ações da CPFL Energia ON (1,02% a R$19,78); Coelce PNA (1,88% a R$41,84), Energias BR ON (0,74% a R$10,90); e Equatorial ON (0,32% a R$34,71).

Na contramão no IEE estavam as ações da Eletrobras PNB (-1,21% a R$9,82); Eleropaulo PN (-2,61% a R$16,40); AES Tietê PN (-1,31% a R$17,16); e Taesa UNT N2 (-0,71% a R$21,00).

Carteira teórica

Na carteira teórica do Índice Bovespa que passa a vigorar a partir de 05 de maio de 2015 a 4 de setembro de 2015 estão: Itauunibanco PN (11,144%), Bradesco PN (8,440%), Ambev S/A ON (7,378%), Petrobras PN (5,687%) e Petrobras ON (4,166%).

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia