Bovespa fecha em queda e IEE embala alta de 0,39%

O giro financeiro ficou em R$5,9 bilhões

Arquivo: SE

A Bolsa de Valores de São Paulo fechou em queda nesta segunda-feira, com os investidores analisando o cenário global, principalmente com o estresse que a China provocou no fechamento. O índice SSE Composite, da bolsa de Xangai, perdeu 8,48% aos 3.725 pontos, a maior desvalorização em oito anos.

Ao final, o Ibovespa recuou 1,04% aos 48.735 pontos e o IEE ficou em alta de 0,39% aos 28.871 pontos. O giro financeiro ficou em R$5,9 bilhões.

“A China mexeu com os mercados globais e, a Bovespa, que segue penalizada com a economia e a política doméstica, pegou carona nas demais. Para tornar a cautela ainda maior, os preços do petróleo também seguem em queda e bem abaixo dos US$60,00 o barril. Enfim, agora as expectativas estão nos resultados financeiros, que não dão sinais de bons números”, avaliou o operador da corretora Renascença, Luiz Roberto Monteiro.

O barril de petróleo Brent para entrega em setembro fechou em baixa de 2,10% no mercado de futuros de Londres, cotado a US$ 53,47.

O petróleo do Mar do Norte, de referência na Europa, terminou a sessão no International Exchange Futures (ICE) US$ 0,15 abaixo do valor da última negociação, que foi de US$ 54,62.

O barril do Petróleo Intermediário do Texas (WTI, leve) fechou em baixa de 1,56%, cotado a US$ 47,39, arrastado pelas baixas nas bolsas chinesas que marcaram a atualidade econômica mundial.

Entre as altas no IEE estavam as ações da Cemig PN N1(1,87% a R$9,24); Eletrobras PNB N1 (4,97% a R$8,45), Eletropaulo PN N2 (0,61% a R$14,95), AES Tietê PN (0,50% a R$17,93); e Light ON (0,57% a R$14,09).

Na contramão no IEE estavam as ações da Coelce PNA (-0,08% a R$38,70); CPFL Energia ON (-0,86% a R$18,50); Equatorial ON (-2,18% a R$35,05); e Copel PNB N1 (-0,09% a R$33,50).

Carteira teórica

Na carteira teórica do Índice Bovespa que passa a vigorar a partir de 05 de maio de 2015 a 4 de setembro de 2015 estão: Itauunibanco PN (11,144%), Bradesco PN (8,440%), Ambev S/A ON (7,378%), Petrobras PN (5,687%) e Petrobras ON (4,166).

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia