Bovespa recua 5,9% na semana e IEE também 5,9%

Volume financeiro ficou em R$6,7 bilhões

Bolsa para cima

A Bolsa de Valores de São Paulo marcou uma de suas piores semanas, com os investidores acompanhando o desenrolar da política, indicadores e as novas medidas de ajuste do governo federal.

Na semana, o Ibovespa desvalorizou 5,92% e nesta sexta-feira, a queda ficou em 1,13% aos 49.245 pontos. Na semana, o IEE perdeu 5,90% e hoje -2,41% aos 28.758 pontos. O volume financeiro foi de R$6,7 bilhões.

“O cenário é frágil e o que se vê são medidas de longo prazo, com investidores preocupados, inflação que não se controla e bem longe da meta. Há um estresse no mercado, com dólar fortalecido, investidores saindo e atenções para as agências de classificação observando os rumos da política. Porém, nesse turbilhão, o que acabamos esquecendo é que há também o jogo de interesse e no momento de crise acaba por tornar o cenário bem pior do que parece. Não é otimismo, mas uma visão mais clara do atual quadro”, ponderou o diretor da Máxima Corretora, José Costa Gonçalves.

A queda do principal índice da bolsa brasileira só ocorreu em dezembro do ano passado, também com a expectativa para os novos anúncios, formação da equipe econômica e medidas de contenção da então reeleita a presidente Dilma Rousseff.

Ainda hoje, para tornar o clima ainda mais tenso, o Morgan Stanley rebaixou o Brasil para “underweight” (abaixo da média) na recomendação de ativos atrativos na América Latina. O corte se deu com a nova meta do superávit primário, anunciada pelo governo nesta quarta-feira (22), com destaque para os cenário de retração nos  próximos quatro anos.

Todas as elétricas recuaram no IEE e entre as maiores baixas estavam as ações da Eletropaulo PN N2, -8,31%; Cemig PN N1, -5,20%; Copel PNB N1, -3,00%; Light ON, -6,29%; e Eletrobras PNB N1, 1,82%.

Carteira teórica

Na carteira teórica do Índice Bovespa que passa a vigorar a partir de 05 de maio de 2015 a 4 de setembro de 2015 estão: Itauunibanco PN (11,144%), Bradesco PN (8,440%), Ambev S/A ON (7,378%), Petrobras PN (5,687%) e Petrobras ON (4,166).

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia