Bovespa recua quase 2% com Grécia e China sinaliza apoio

Grécia não acerta acordo, mercados despencam e China dá apoio

China vai aderir

A Bolsa de Valores de São Paulo opera em forte queda nesta segunda-feira e seguindo do demais globais com o cenário grego. Há pouco, o Ibovespa recuava 1,94% aos 52.967 pontos e IEE também estava em queda de 0,85% aos 30.034 pontos. O giro financeiro estava em R$2,7 bilhões.

O drama da Grécia fez a China manifestar apoio com a criação de um novo fundo de investimento para infraestrutura da União Europeia. Além disso, os gigantes se prontificaram a ajudar na crise da dívida grega. Esta é mais uma estratégia de Pequim na busca por um papel ainda maior no palco mundial.

O premier Li Keqiang, que está na Europa em um dia em que os mercados financeiros despencaram com a Grécia no radar e podendo deixar o euro, afirmou aos líderes empresariais europeus que gostaria de ver Atenas permanecendo na zona do euro.

Em sua primeira reunião com o novo chefe da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e do Conselho Europeu de líderes da UE, Donald Tusk, Li disse que a China estava pronta para investir e seguir comprando títulos da dívida grega.

“A decisão da China para participar é grande”, disse Li, sem se referir quando Pequim estaria disposta a desembolsar. Informações dão conta de que o novo fundo de infraestrutura seria de €315 milhões para a UE.

“A China tem reservas cambiais amplas”, disse ele, sugerindo a criação do fundo comum de investimento adicional UE-China.

O comissário europeu dos Assuntos Econômicos, Pierre Moscovici, afirmou que há margem para negociação entre Atenas e os seus credores e revelou que Bruxelas apresenta ainda hoje (29) novas propostas para tentar evitar o default (calote) grego.

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, “vai indicar o caminho a seguir”, afirmou Moscovici.

Atenas estava a poucos centímetros de distância de um acordo quando as conversações foram interrompidas durante o fim de semana, afirmou Moscovici. “Temos de continuar a dialogar”, frisou, acrescentando que “a porta está sempre aberta às negociações”.

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, pediu ao primeiro-ministro de Luxemburgo, Xavier Bettel, para reconsiderar a sua posição e conceder a Atenas um prolongamento do resgate, informou hoje o jornal britânico Financial Times. O jornal publicou uma carta enviada pelo primeiro-ministro grego ao executivo luxemburguês, depois do Eurogrupo ter recusado estender o programa de ajuda a Grécia.

“Neste contexto, gostaria de pedir ao seu governo para reavaliar a sua posição sobre este assunto e apoiar a reconsideração do pedido apresentado pela Grécia aos ministros das Finanças da zona euro”, escreveu Tsipras em carta, datada de domingo (28) e endereçada ao executivo de Luxemburgo, que exerce a presidência rotativa da União Europeia a partir de quarta-feira (1º).

O dirigente grego assegurou que esta decisão serviria para cumprir com o objetivo comum de alcançar um acordo mutuamente benéfico, ao mesmo tempo que permitiria a Grécia voltar a experimentar crescimento na zona euro e gerir de forma sustentada a dívida financeira.

Tsipras pediu para prolongar a vigência do resgate, que expira na terça-feira (30), depois de anunciar a convocação de um referendo no qual os cidadãos deverão decidir sobre a proposta de acordo das instituições – Banco Central Europeu, Comissão Europeia, Fundo Monetário Internacional -, recusada pelo governo grego.

As negociações começarão novamente no dia 6 de julho, tendo em vista fechar um acordo imediatamente depois, seguindo a decisão do povo grego, explicou Tsipras.

A Grécia e os parceiros da zona euro terminaram as negociações no sábado (27), depois do anúncio por Atenas de um referendo em 5 de julho sobre propostas dos europeus referente ao programa de resgate, que termina na terça-feira (30). A Grécia manteve hoje acordo de manter os bancos fechados até o dia 6 de julho.

Hoje, entre as altas no IEE estavam as ações da Coelce PNA (0,22% a R$41,09), Eletropaulo PN (2,24% a R$17,33), Energias BR ON (0,26% a R$11,52).

Na contramão no IEE estavam as ações da Alupar UNT (-1,43% a R$16,54); CPFL Enegria ON (-2,17% a R$18,96); Eletrobras PNB (-0,81% a R$8,58); e AES Tietê PN (-3,31% a R$16,92).

Carteira teórica

Na carteira teórica do Índice Bovespa que passa a vigorar a partir de 05 de maio de 2015 a 4 de setembro de 2015 estão: Itauunibanco PN (11,144%), Bradesco PN (8,440%), Ambev S/A ON (7,378%), Petrobras PN (5,687%) e Petrobras ON (4,166%).

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia