Carga de energia no SIN recua 2,1% em junho, mostra ONS

No ano passado, a carga foi influenciada negativamente pela concessão de feriados por conta dos jogos da Copa do Mundo

Mais reforço para o setor

Os valores de carga de energia do Sistema Interligado Nacional – SIN , divulgados nesta sexta-feira pelo Operador Nacional do Sistema (ONS), mostram que em junho houve decréscimo de 2,1%, em relação aos valores verificados no mesmo mês do ano anterior. Com relação ao mês de maio, houve variação negativa de 1,7%.
No acumulado dos últimos 12 meses, o SIN ainda apresentou variação positiva de 0,5% em relação ao mesmo período anterior.

O  comportamento da carga do SIN reflete, sobretudo, o baixo desempenho da indústria, que segue realizando ajustes no nível de produção, diante do aumento de estoques e da diminuição  da demanda interna, reflexo do aumento da taxa de juros, da piora no mercado de trabalho e da inflação em alta.Observou-se  ainda, redução no nível de atividade do setor de comércio e serviços.

Adicionalmente, a elevação das tarifas de energia elétrica vem se refletindo nos padrões de consumo de energia, contribuindo para a redução da carga principalmente nos subsistemas Sudeste/Centro-Oeste e Sul onde o impacto dos aumentos tarifários tem sido maior.

Destaca-se, também, que o desempenho  da carga do SIN nesse mesmo mês  de 2014 foi influenciado negativamente pela concessão de feriados por conta dos jogos da Copa do Mundo.

Apesar desse fato, que pode ser considerado como fator fortuito, a carga dos subsistemas Sudeste/Centro-Oeste e Sul registrou valores inferiores aos do mesmo mês do ano passado.

A variação negativa de 2,6% na carga ajustada no  SIN em junho/15, quando comparada a jun/14, ratifica as observações acima e mostra que os fatores fortuitos, não econômicos, contribuíram com apenas 0,5% da taxa apresentada.

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) diminuiu 0,8 ponto  percentual (p.p.) entre maio e junho, ao passar de 79,0% para 78,2%, o menor nível desde abril de 2009 (78,0%).

Além  disso, segundo a publicação Sondagem da Indústria de Transformação da FGV de junho/15, o indicador do Índice de Confiança da Indústria (ICI) recuou 4,9% entre maio/15 e junho/15, ao passar de 71,6 para 68,1pontos, o menor nível da série mensal, iniciada em outubro de 2005.

 

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia