CCEE: Junho deve registrar afluências próximas da média histórica

Queda do preço na primeira semana de junho; projeção para 14 meses à frente mostra PLD no teto até outubro

Histórico do ENA

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) apresentou nesta segunda-feira (01), durante o InfoPLD ao vivo, previsão favorável nas afluências para o Sistema Interligado Nacional (SIN) em junho, que devem chegar a 96% da média histórica para o mês, mesmo com o início do período seco.

“Notamos ENAs mais favoráveis, próximas à MLT, em maio, com boas perspectivas para junho, ainda que estejamos em pleno período seco”, aponta o gerente de Preço da CCEE, Rodrigo Sacchi.

Na apresentação, Sacchi também destacou que com essa melhora relativa das afluências, foi possível observar uma queda substancial do Custo Marginal de Operação – CMO e consequentemente do Preço de Liquidação das Diferenças – PLD, resultando inclusive, para a primeira semana de junho, em descolamento do PLD do teto máximo estabelecido pela Aneel para 2015. A redução de carga e do consumo de energia elétrica no país, em maio, tanto no ambiente de contratação regulado (ACR) quanto no ambiente livre (ACL) também teve influência direta na queda do PLD. “Em função disso, a carga do SIN foi revista para baixo e contribuiu para a queda do PLD”, explicou Sacchi.

Associado a isso, foi registrado um aumento da energia armazenada nos submercados Sudeste/Centro-Oeste e Norte, especialmente no Sudeste, exatamente em razão da melhora relativa das ENAs ocasionada pelo atraso do final do período chuvoso.

O executivo ainda citou outro fator para a queda do PLD na primeira semana de junho. “A expectativa de motorização da usina de Jirau, ou seja, que a planta atinja o número de unidades de base no mês de julho, também possibilitou adicionarmos um benefício energético à análise, consequentemente, tirando a pressão do preço em todos os submercados”, afirma.

As afluências observadas em todo o sistema em maio continuaram próximas à média histórica. No submercado Sudeste, a perspectiva para junho é de 90%, enquanto as afluências previstas para o Sul são de 127% da MLT. As ENAs do Nordeste e Norte devem ficar em 57% e 100% da média histórica, respectivamente.

Em maio, houve continuidade da recuperação nos níveis dos reservatórios das hidrelétricas com destaque para o Sudeste que atingiu 36% da capacidade ao final do mês frente aos 33,4% previstos anteriormente. No Nordeste, o índice permaneceu estável com 27% no período, enquanto no Norte houve um ligeiro aumento, de 81,1% para 82,5%. Já no Sul foi registrada redução do armazenamento – de 40% para 38,1%.

Durante o evento, foi apresentada a projeção dos 14 meses à frente que mostra a queda do PLD a partir de novembro deste ano, mantendo-se abaixo do patamar dos R$ 200/MWh em 2016.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia