Divulgação

Com mais prazo para pagamento de empréstimo, impacto na conta de luz será menor

O repasse para as tarifas será feito no cálculo do reajuste anual de cada distribuidora

O impacto dos empréstimos que as distribuidoras de energia obtiveram no mercado para cobrir os gastos com o uso das termelétricas deverá ser reduzido pela metade com o aumento do prazo para o pagamento da dívida. Segundo o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Romeu Rufino, com a dilatação do prazo de 24 para 54 meses, o peso sobre as tarifas este ano, que seria de cerca de 12 pontos percentuais, ficará entre cinco e seis pontos percentuais.

O repasse para as tarifas será feito no cálculo do reajuste anual de cada distribuidora. O empréstimo, negociado em três parcelas, soma R$ 21bilhões. A última parcela, de R$ 3,4 bilhões, deve ser liberada até o fim do mês.

Rufino participou hoje (24) de audiência pública na Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio da Câmara dos Deputados sobre os recentes aumentos da tarifa de energia. No mês passado, a Aneel aprovou a revisão extraordinária para 58 distribuidoras de energia do país, que resultará em um aumento médio de R$ 23,4%.

Com Ag. Brasil

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia