Dia Mundial da Água: conheça o papel das hidrelétricas em tempos de seca

Usinas ajudam também no abastecimento para o consumo humano e a agricultura

Arquivo: SE

Em tempos de escassez de água, os reservatórios da Cemig ajudam no abastecimento em diversas cidades mineiras, tanto para consumo humano quanto para atividades agrícolas. A Usina Hidrelétrica Três Marias, por exemplo, é de suma importância para o Projeto Jaíba, na região Norte do Estado, que bombeia água da Bacia do São Francisco para irrigação de lavouras para a produção anual de 1,3 milhão de toneladas de frutos e outros produtos agrícolas.

O gerente de planejamento energético da Cemig, Marcelo de Deus, lembra que Minas Gerais é conhecida como a caixa d’água brasileira, já que algumas das principais bacias hidrográficas nascem no Estado, o que contribui para a existência de importantes usinas hidrelétricas espalhadas em seu território. “Mas nem todos sabem que os reservatórios das usinas têm papel fundamental não apenas na geração de energia elétrica, mas também no abastecimento de água para a população”, destaca.

“Desde 2013, o Brasil enfrenta um dos piores períodos de seca já registrados. O reservatório da Usina Hidrelétrica Três Marias, por exemplo, que fica na região Central do Estado, é estratégico para a segurança hídrica da Bacia do São Francisco, que sofre com condições hidrológicas adversas e vazões e precipitações abaixo da média histórica. Por isso, nos últimos quatro anos, a gestão dos reservatórios e a manutenção dos estoques de água vem sendo feita de forma especial pela Cemig, em conjunto com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e a Agência Nacional de Águas (ANA)”, explica Marcelo de Deus.

Apesar de ser uma das usinas com maior potência instalada – 396 megawatts – a Usina Três Marias assume um papel ainda mais essencial quando o assunto é abastecimento de água. “Sem esse recurso, a população das cidades a jusante e a montante, e o desenvolvimento econômico da região seriam muito prejudicados”, afirma o gerente da Cemig. “Turismo, aquicultura, pecuária correriam o risco de desaparecer, sem falar em problemas para o abastecimento humano”, acrescenta.

Vale do Jequitinhonha

Situada entre as cidades de Berilo e Grão-Mogol, a Usina Hidrelétrica Irapé possui capacidade instalada de 399 megawatts e reservatório de 137 quilômetros quadrados e comporta cerca de 6 bilhões de metros cúbicos de água. O grande lago abrange sete municípios das regiões Norte e Vale do Jequitinhonha. A barragem é outro aspecto superlativo da usina: com 208 metros de altura, é a mais alta do País e a segunda maior da América do Sul.

Marcelo de Deus aponta a contribuição da Usina Irapé para o Sistema Interligado Nacional e sua importância para o Vale do Jequitinhonha. “Além de ser um marco para a engenharia nacional, essa usina tem sido importante para o sistema elétrico do país, pois sua capacidade instalada pode abastecer uma cidade com um milhão de habitantes”, comenta.

Outra questão relacionada à Irapé é a regularização de vazões para a região do Vale do Jequitinhonha. “Esse é um beneficio que a usina vem concedendo neste período de baixas vazões, quando recebe, por exemplo, seis metros cúbicos por segundo e libera 50 metros cúbicos por segundo”, finaliza Marcelo de Deus.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia