EDP esclarece elevação de tarifas na área de atuação da Bandeirante Energia

Passando a vigorar a partir de 23 de outubro de 2017, o reajuste médio para os consumidores será de 24,37%

Aneel e as tarifas

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) definiu o Reajuste Tarifário Anual de 2017 a ser aplicado na área de concessão da EDP São Paulo, distribuidora de energia elétrica que atende a 28 municípios na região do Alto Tietê, Vale do Paraíba e Litoral Norte. O reajuste compreende uma atualização dos custos para geração, transmissão e distribuição da energia elétrica, assim como dos encargos setoriais. Sua ocorrência está prevista no contrato de concessão de todas as distribuidoras do País.

Passando a vigorar a partir de 23 de outubro de 2017, o reajuste médio para os consumidores será de 24,37%. O efeito médio percebido será de 27,31% para as unidades consumidoras atendidas em alta tensão (indústrias e grandes varejistas) e de 22,67% para as de baixa tensão (pequenos comércios e residências).

Um cliente residencial da área de concessão da EDP São Paulo que consome em média 192 quilowatts-hora (kWh) ao mês recebia, antes do reajuste, uma conta de energia, incluindo impostos, no valor mensal de R$90. Com o recálculo, esse custo deve passar para R$110.

Os principais fatores que impactaram o reajuste das tarifas da EDP São Paulo foram:

-10,7 pontos porcentuais decorrentes da revisão dos custos de transmissão, devido a um ressarcimento a empresas realizado pelo
Ministério de Minas e Energia (MME) em 2016, conforme Portaria nº 120;
–  14 pontos porcentuais devido à hidrologia desfavorável, que gerou custos extras em razão das hidrelétricas não poderem produzir energia.

É importante lembrar que, no Reajuste da EDP São Paulo de outubro de 2016, foi homologada uma redução tarifária de 23,53%, devido à melhoria das condições hidrológicas e à redução de encargos. Sendo assim, mesmo com o reajuste atual médio de 24,37%, é importante notar que as tarifas da Distribuidora ainda resultam valores inferiores aos praticados em 2015, quando uma mesma residência, com consumo de 192kWh, pagava R$113 na conta mensal.

A composição da tarifa de energia

A cada R$ 100 pagos na conta de luz, R$ 15,50 são destinados à EDP São Paulo para cobrir custos de operação, manutenção e investimentos. Outros R$ 33,70 vão para as despesas de geração e R$ 11,70 para as despesas de transmissão da energia. Os encargos setoriais respondem por R$ 16,60, enquanto os impostos e tributos ficam com R$ 22,60.Custo de Distribuição 15,5%, Custo de Energia 33,7, Custo de Transmissão 11,7%, Encargos Setoriais 16,6%, ICMS 18,5%, PIS/COFINS 4,1% e Tributos 22,6%.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia