Piscicultura e os recursos

Grupo EDP realizou soltura de 50 mil filhotes de peixes no Rio Doce

Seguindo projeto de benefício socioeconômico e ambiental para a região da Usina de Mascarenhas, a EDP entregou espécies nativas à natureza

A EDP, empresa que atua na área de comercialização, geração e distribuição de energia elétrica, realizou na última quinta-feira, 19, a soltura de 50 mil alevinos (filhotes de peixes) no reservatório da Usina Hidrelétrica de Mascarenhas (UHE Mascarenhas), no Rio Doce, município de Baixo Guandu, Noroeste do Espírito Santo.

Filhotes de lambaris, cascudos, curimbas e piaus, todas espécies nativas, foram entregues à natureza dando continuidade ao projeto de recomposição de estoques de peixes e restabelecimento de populações de espécies ameaçadas ou extintas. A previsão é que, ao longo de dois anos, seja feita a soltura de 300 mil alevinos.

Para tanto, a EDP investiu em um estudo minucioso sobre alternativas de manejo do reforço pesqueiro, no qual foram propostas algumas ações, dentre elas a realização do procedimento de transposição manual de peixes, o monitoramento trimestral da ictiofauna e o reforço do estoque pesqueiro com a soltura filhotes de espécies nativas.

Os animais foram selecionados em função dos resultados obtidos com o monitoramento de peixes realizado na região onde está instalada a Usina Hidrelétrica de Mascarenhas. Nas pesquisas realizadas, foram identificadas mais de 30 espécies nativas da bacia do Rio Doce, entretanto, sua utilização em projetos de reforço de estoque pesqueiro depende da existência e disponibilidade de tecnologias de reprodução induzida, aliada ao comportamento e hábito alimentar das espécies.

Os peixes foram adquiridos de laboratório especializado em reprodução induzida de espécies nativas e a última soltura realizada pela EDP aconteceu em novembro do ano passado, quando lambaris (Astyanax sp.), acarás (Geophagus brasiliensis) e curimbas (Prochilodus costatus) formaram o primeiro lote entregue ao meio ambiente. Espécies exóticas não são contempladas nas ações devido ao potencial impacto negativo destas para o ambiente.

“É recompensador poder realizar, em curto intervalo de tempo, duas solturas de peixes nativos da região. Isso só reforça nosso comprometimento com a política de sustentabilidade do Grupo EDP e com a comunidade do entorno da UHE Mascarenhas”, afirma José Cherem Pinto, diretor de Operação e Manutenção da Geração do Grupo EDP.

A soltura de peixes no reservatório da UHE Mascarenhas contou ainda com a presença de pescadores locais.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia