Ibovespa devolve e IEE pega carona com Cemig em destaque

Volume financeiro ficou acima da média, R$9,3 bilhões

Investidor

O Ibovespa, que durante o dia ficou em alta, acabou apagando os ganhos na reta final das negociações. A elevação do tom entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte ofuscaram as falas da presidente do Federal Reserve, Janet Yellen, que novamente ficou mais leve e sem nenhuma preocupação imediata para aumentar as taxas de juros nos Estados Unidos.

A fraqueza do índice de inflação e a média dos salários ainda sem grandes avanços pesaram nas declarações de Yellen, que junto com a maioria dos membros do Comitê de Mercado Aberto – Fomc ainda sinaliza para mais uma alta nas taxas de juros da maior economia do mundo. Já uma minoria aposta em mais de um aumento em 2017 e outros tantos em 2018.

As discussões em Brasília sobre a segunda denúncia contra o presidente Michel Temer, já que a demora na decisão está atrasando ainda mais as reformas relevantes como a Previdência e Política, ficam de pano de fundo.

Ao final, o Ibovespa ficou em queda de 0,17% aos 74.318 pontos. O volume financeiro ficou em R$9,3 bilhões. O IEE subiu 0,31% com as ações da Eletrobras. As ações da Cemig caíram, com a companhia tentando até as últimas horas hoje ganhar força para recuperar uma de suas três usinas que vão a leilão amanhã na B3.

“Ontem o que se viu foi um pouco de realização, com o tom mais elevado nas provocações da Coreia do Norte aos Estados Unidos. Porém, hoje a tensão voltou a tomar conta no final da tarde com as respostas dos Estados Unidos. Enquanto isso, alguns papéis foram beneficiados com a alta do minério de ferro na China, como a Vale. A Petrobras devolveu, depois da alta nos preços do petróleo ontem. As siderúrgicas também subiram, bem como os bancos. As elétricas caíram e o destaque foi a Cemig com o leilão das usinas amanhã”, destacou o gerente de Bovespa da HCommcor, Ari Santos.

As ações com ganhos

Rumo ON, alta de 1,89%;Equatorial ON,  alta de 1,02%; Cielo ON, alta de 3,29%; Estacio Part. ON, alta de 3,50%; e JBS ON, alta de 1,82%.

As ações com perdas

Qualicorp ON, queda de 2,27%; Cemig PN, queda de 2,31%; Suzano Papel PNA, queda de 3,05%; Cemig PN, queda de 2,31%; e Fibria ON, queda de 2,99%.

A Petrobras ON ficou em queda de 1,10% e a PN, queda de 1,77%.

A Vale ON ficou em alta de 1,32% e a PN, alta de 1,04%.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica, que passou a vigorar de 04 de setembro a 28 de dezembro no Ibovespa, mostra os cinco ativos com maior peso no índice: Itauunibanco PN (10,846%), Bradesco PN (8,485%), Ambev ON (7,039%), Petrobras PN (4,883%) e Vale ON (9,040%).

Commodities

O petróleo referência, Brent, ficou em alta na bolsa de Futuros de Londres, ICE, em 0,58% aos US$60,88 o barril.

O petróleo WTI segue em queda de 0,15%, cotado a US$ 52,14 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, está em alta de 3,00% aos US$64,95 a tonelada seca e com 62% de pureza.

A celulose fibra longa negociada fechou US$904,99, alta de 0,12%, a tonelada na sessão anterior. A celulose fibra curta fechou em US$885,23 e alta de 0,25%, a tonelada.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia