Ibovespa dispara acima dos 71 mil pontos e Eletrobras segura ganho

Volume financeiro fica em R$8,5 bilhões, acima da média diária

Para cima

A bolsa de valores de São Paulo fechou em forte alta nesta quinta-feira, a terceira sessão consecutiva, com os investidores animados com o pacote de ativos proposto pelo Governo Federal para privatização. As compras de hoje também foram amparadas pela movimentação em Brasília, principalmente, com a votação do text-base sobre a nova taxa de juros, TLP, para os financiamentos via BNDES.

Ao final, o Ibovespa ficou em alta de 0,93% aos 71.132 pontos. O volume financeiro ficou em R$8,5 bilhões e o IEE acompanhou a valorização das elétricas e com alta de 0,56%.

“O comportamento da bolsa hoje segue o movimento dos últimos três dias, depois da Eletrobras e com o novo pacote apresentado ontem. O investidor que ver movimento e oportunidade de negócios e foi isso que o governo apresentou. É uma patamar importante e, acredito, que deverá seguir e ser impulsionado pelas demais votações, como a TLP de hoje. Seria interessante também a retomada da Previdência. Um retrocesso só poderá acontecer se uma nova denúncia surgir e com provas contundentes. Fora isso, o mercado deve seguir em forte recuperação”, destacou o diretor da Codepe Investimentos, José Costa Gonçalves.

As ações com ganhos
Eletrobras ON, alta de 3,98%; Natura ON, alta de 3,94%; Usiminas PNA, alta de 4,17%; e Bradespar PN, 4,53%.

As ações com perdas
Gerdau Met. PN, queda de 2,42%; BB Seguridade ON, queda de 1,36%; BM&FBovespa ON, queda de 1,14%; WEG ON, queda 0,91%; BR Malls Part. ON, queda de 0,96%.

A Petrobras ON ficou em alta de 0,56% e a PN, alta de 0,29%;
A Vale ON ficou em alta 4,12% e a PN, alta de 3,39%.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica, que passou a vigorar de 02 de maio a 01 de setembro no Ibovespa, mostra os cinco ativos com maior peso no índice: Itauunibanco PN (11,453%), Bradesco PN (8,244%), Ambev ON (7,299%), Petrobras PN (5,331%) e Vale PNA (4,727%).

Commodities

O petróleo WTI, para entrega em setembro, ficou em queda de 1,63%, cotado a US$ 47,62 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, fechou em queda de 0,85% aos US$77,16 a tonelada seca e com 62% de pureza.

A celulose fibra longa negociada fechou US$890,60, queda de 0,04%, a tonelada na sessão anterior. A celulose fibra curta fechou em US$879,49 e queda de 0,06%, a tonelada.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia