Ibovespa fecha de lado e IEE fica em queda de 0,21%

Volume financeiro ficou em R$8,3 bilhões

Ibovespa

O Ibovespa ficou de lado nesta terça-feira, com um pouco de realização de lucros e ajustes. Os preços das commodities caíram, com destaque para o minério de ferro, -4%. O dia também foi de agenda fraca em todas as regiões e com a expectativa para a reunião do Federal Reserve, que termina amanhã nos Estados Unidos.

Ao final, o Ibovespa ficou praticamente estável aos 75.974 pontos. O volume financeiro ficou na média, R$8,3 bilhões. O IEE ficou em queda de 0,21%.

“Em dia de poucos indicadores, o Ibovespa ficou de lado esperando pela reunião do Fed. De manhã, a mudança de comportamento ficou por conta da pesquisa de intenção de voto para a eleição do ano que vem. Porém, logo o mercado voltou considerando que ainda falta muito tempo para qualquer resultado concreto. As commodities recuaram”, disse o operador da Renascença, Luiz Roberto Monteiro.

Ainda é esperado algum avanço na Câmara Federal sobre a reforma política.

As ações com ganhos

Suzano Papel PNA, alta de 3,70%; Braskem PNA, alta de 1,99%; TIM Part. ON, alta de 2,15%; Localiza ON, alta de 1,92%; e BMFBovespa ON, alta de 1,89%.

As ações com perdas

Natura ON, queda de 4,55%; Taesa UNT N2, queda de 2,70%; Sid. Nacional ON, queda de 2,85%; Gerdau PN, queda de 2,94%; e Cemig PN,  queda de 3,18%.

A Petrobras ON, alta de 0,32% e a PN, alta de 0,66%.

A Vale ON, queda de 0,96% e a PN, queda de 0,06%.

A Eletrobras ON, queda de 1,33% e a PN, estável.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica, que passou a vigorar de 04 de setembro a 28 de dezembro no Ibovespa, mostra os cinco ativos com maior peso no índice: Itauunibanco PN (10,846%), Bradesco PN (8,485%), Ambev ON (7,039%), Petrobras PN (4,883%) e Vale ON (9,040%).

Commodities

O petróleo WTI ficou em queda de 0,12%, cotado a US$ 49,85 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O Brent, que é referência nos mercados europeu negociado na ICE, ficou em alta de 2,45% aos US$57,64.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, fechou em queda de 4,06% aos US$68,85 a tonelada seca e com 62% de pureza.

A celulose fibra longa negociada fechou US$903,87, alta de 0,91%, a tonelada na sessão anterior. A celulose fibra curta fechou em US$883,01 e alta de 0,34%, a tonelada.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia