Ibovespa fecha em alta e IEEX acompanha em 2,1%

Volume financeiro ficou em R$9,5 bilhões

Arquivo: UI

A bolsa de valores de São Paulo fechou em alta nesta quarta-feira, mas bem abaixo do movimento registrado até o meio tarde, quando os investidores ficaram mais atentos aos acontecimentos em Brasília, em dia de manifestações contra as reformas da Previdência e Trabalhista. Além disso, a sessão tumultuada na Câmara Federal também ficou no radar.

Ao final, o Ibovespa ficou em alta de 0,95% aos 63.257. O IEEX ficou em alta de 2,14%. O volume financeiro ficou em R$9,5 bilhões.

“O que se vê é que o mercado, pelo menos neste momento, descolou do cenário político e esperando um entendimento entre os parlamentares para as aprovações das reformas, da Previdência e Trabalhista. A Petrobras recuperou e a Vale devolveu com o minério de ferro”, considerou o gerente de B3 da HCommcor, Ari Santos.

As ações com ganhos
Eletrobras PNB, alta de 7,83%; Eletrobras ON, alta de 6,66%; Rumo Log ON, alta de 7,26%; Smiles ON, alta de 5,04%; e Ecorodovias ON, alta de 4,60%.

As ações com perdas
Marfrig ON, queda de 3,99%; Suzano Papel PNA, queda de 2,69%;e Klabin UNT, queda de 2,06%.

A Vale ON ficou em queda de 2,62% e a PN, queda de 2,07%
A Petrobras ON ficou em alta de 2,70% e a PN, alta de 3,34%.

Pagam dividendos: Apenas a AES Tietê.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica, que passou a vigorar de 02 de maio a 01 de setembro no Ibovespa, mostra os cinco ativos com maior peso no índice: Itauunibanco PN (11,453%), Bradesco PN (8,244%), Ambev S/A ON (7,299%), Petrobras PN (5,331%) e Vale PNA (4,727%).

Commodities

O contrato futuro do petróleo tipo WTI é negociado a US$ 51,33 o barril, com queda de 0,27%.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, fechou em queda de 2,39% a US$60,52 a tonelada seca e com 62% de pureza.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia