Ibovespa fecha em queda e IEE pega carona

Volume financeiro ficou em R$10,73 bilhões

Ibovespa

A bolsa de valores de São Paulo ficou em queda nesta quarta-feira, com as atenções novamente para as medidas protecionistas do presidente Donald Trump. O agravamento de uma possível guerra comercial e também pela saída do presidente do Conselho Econômico Nacional, Gary Cohn, mexeram com os mercados financeiros.

Ao final, o Ibovespa ficou em queda de 0,20% aos 84.483 pontos. O volume financeiro ficou em R$10,73 bilhões. O IEE ficou em queda de 0,11% e o XLE, em Nova York, caiu 0,75%.

“Hoje a bolsa acompanhou o cenário externo, com o presidente Trump perdendo mais uma força com a renúncia do Cohn. O temor de uma guerra comercial pesou em todos os mercados. Apenas as bolsas da Europa descolaram dos Estados Unidos e ficaram no positivo. Houve também um pouco de realização”, disse o operador da Renascença, Luiz Roberto Monteiro.

As ações com ganhos
BRF ON, alta de 4,23%; TIM Part. ON, alta de 3,27%; RaiaDrogasil ON, alta de 3,23%; Hypera ON, alta de 2,53%;e Fleury ON, alta de 0,77%.

As ações com perdas
Smiles ON, queda de 9,88%; Eletrobras PNB, queda de 4,51%; Estacio Part. ON, queda de 3,56%; Marfrig ON, queda de 3,51%; e Bradesco ON, queda de 3,12%.

A Petrobras PN ficou em queda de 1,05% e a ON, queda de 1,35%.

A Vale ON ficou em queda de 1,47%.

O Itau Unibanco PN ficou em queda de 0,13%.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica do Índice Bovespa em vigor de 02 de janeiro a 04 de maio de 2018. Os cinco ativos que apresentam o maior peso na composição do índice são: Itauunibanco PN (10,510%), Vale ON (9,993%), Bradesco PN (7,830%), Ambev S/A ON (6,875%) e Petrobras PN (5,240%).

Commodities

O petróleo referência, Brent, ficou em queda na bolsa de Futuros de Londres a 1,93% a US$65,20 o barril.

O petróleo WTI ficou em queda de 1,98%, cotado a US$ 61,36 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, ficou em queda de 0,30% a US$75,84 a tonelada seca e com 62% de pureza.

A celulose fibra longa negociada fechou US$1.069,10, alta de 0,01%, a tonelada na sessão anterior. A celulose fibra curta fechou em US$1.011,60 a tonelada e em alta de 0,32%.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia