Ibovespa fecha julho em alta de 4,8%

O volume financeiro ficou em R$6,9 bilhões

Bolsa para cima

O Ibovespa fecha o mês de julho em alta de 4,80%. A boa performance do índice principal se deu com as blue-chips, Petrobras, Vale, siderúrgicas, bancos e as educacionais. Os investidores descolaram do cenário externo, com o quadro político dando uma trégua e com os balanços das grandes empresas reportando números dentro do esperado num momento de retomada econômica. No ano, o índice principal da bolsa paulista acumula alta de 9,5%.

Nesta segunda-feira, o Ibovespa ficou em alta de 0,65% aos 65.920 pontos. O volume financeiro ficou em R$6,9 bilhões. O IEE ficou estável.

“O mês de julho termina com ‘chave de ouro’, o que ninguém esperava. Essa calmaria se deu com o Congresso parado, porém, com a retomada amanhã e as expectativas ficam agora para as votações na quarta-feira. O bom desempenho  de julho ocorreu com os papéis de primeira linha, Petrobras, Vale, bancos, as educacionais, enfim, empresas que dependiam do câmbio. A boa performance puxou os títulos e garantiu a alta do índice no ano em 9,5%. Para esta segunda-feira, mesmo com a alta, o volume foi baixo e as blue-chips foram puxadas pelo petróleo e minério de ferro”, explicou o gerente de Bovespa da H. Commcor, Ari Santos.

As ações com ganhos
Bradespar PN, alta de 4,29%; Estácio Participações ON, alta de 3,45%; e Hypermarcas ON, alta de 2,53%.

As ações com perdas
Multiplan ON, queda de 1,96%; Eletrobras ON, queda de 2,88%; Sabesp ON, queda de 1,58%; Fibria ON, queda de 1,49%; e Suzano Papel PNA, queda de 1,41%.

A Vale ON ficou em alta de 3,16% e a PN, alta de 2,78%.

A Petrobras ON ficou em alta de 1,17% e a PN, alta de 1,22%.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica, que passou a vigorar de 02 de maio a 01 de setembro no Ibovespa, mostra os cinco ativos com maior peso no índice: Itauunibanco PN (11,453%), Bradesco PN (8,244%), Ambev S/A ON (7,299%), Petrobras PN (5,331%) e Vale PNA (4,727%).

Commodities

O barril do tipo WTI, para entrega em setembro, ficou em alta de 0,91%, cotado a US$50,16.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, fechou em queda de 7,23% aos US$73,70 a tonelada seca e com 62% de pureza.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia