Ibovespa fecha o mês em queda de 3% e IEE escorrega 1,2% com elétricas

As ações da CPFL Energia ON devolveram em 16,97% com um erro operacional levando o cancelamento de uma operação envolvendo 500 papéis da CPFL

Bolsa para baixo

A bolsa de ações de São Paulo está fechando novembro em queda de 3,14% e acumula 19,49% de valorização no ano. Porém, os 71 mil pontos de hoje pode ser comparado com um dos piores resultados do mês e também desde o dia 17 de maio nas deleções dos donos da JBS contra o presidente Michel Temer e outros parlamentares.

Os investidores mantiveram as vendas com a reforma da Previdência no radar e os desencontros nas falas sobre o tema. Hoje, o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia destacou a dificuldade para o texto entrar em votação, bem na contramão das declarações de ontem do ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, que garantiu a aprovação do texto atual já para a próxima semana.

De acordo com analistas da Magliano, fica bem claro que o governo foi para o tudo ou nada para esta aprovação e jogou a responsabilidade para os deputados, principalmente do PSDB, que se não aprovarem o texto serão apontados como os culpados pelo impacto negativo que esta decisão trará sobre a economia do país nos próximos anos.

Ao final, o Ibovespa ficou em queda de 1% aos 71.970 pontos. O volume financeiro ficou em R$26,2 bilhões. O IEE caiu 1,24%.

“No mês, tanto o fechamento positivo quanto o negativo, a influência ficou toda para a discussão sobre a reforma da Previdência. Nos três últimos pregões, o resultado foi totalmente por conta das contradições nas declarações dos membros do governo e hoje do presidente da Câmara. De outro lado, as notícias corporativas das elétricas acabaram por puxar os papéis, em especial os da Eletrobras, com o processo de privatização, e a Cemig, que além da subscrição, enfrenta a questão política envolvendo o presidente.

No lado externo, o radar segue para o pacote fiscal de Donald Trump e também para as declarações de membros do Fed. As commodities, em especial o petróleo, ficaram estáveis. Novembro fecha com um pouco de realização”, disse o gerente de Bovespa da HCommcor, Ari Santos.

Para Rodrigo Maia, “falta muito voto” para aprovar a reforma da Previdência disse em entrevista nesta quinta-feira depois de evento em São Paulo, Maia afirmou que, além do desgaste enfrentado pelos parlamentares após a rejeição das duas denúncias contra o presidente Michel Temer, muitos deputados, apesar de reconhecer a importância da proposta, não confirmam o apoio ao texto.

“Falta entender que a votação não tem caráter diabólico, mas que garante a aposentadoria dos que ganham menos e acaba com a distorção dos que ganham mais. É um tema fundamental e urgente, que vai garantir o futuro de milhões de brasileiros. Se não for aprovada, no futuro vão faltar recursos para saúde e educação”, afirmou para a Agência Brasil.

De outro lado, os investidores também estão atentos para o plano fiscal do presidente Donald Trump, que entra em nova fase de discussão ainda hoje no Senado norte-americano.
Com um texto bem diferente do aprovado na Câmara, para hoje serão necessários 50 votos, já que dois senadores republicanos, o mesmo partido de Trump, consideram rejeitar o texto.

Segundo expectativa bem otimista do presidente dos Estados Unidos, é de que o texto seja sancionado antes do Natal. Com isso, já para o ano que vem, os cortes dos impostos poderão representar para os Estados Unidos cerca de US$1,4 trilhão em dez anos.

As ações com ganhos
WEG ON, alta de 0,35%; Rumo ON, alta de 1,72%; Embraer ON, alta de 0,64%; e JBS ON, alta de 1,41%.

As ações com perdas
CPFL Energia ON, queda de 16,97%; Eletrobras ON, queda de 6,30%; Cemig PN, queda de 5,98%; e Fibria ON, queda de 5,50%. Um erro operacional levou o cancelamento de uma operação envolvendo 500 papéis da CPFL.

A Petrobras ON ficou em alta de 0,25% e a PN, alta de 0,33%.

A Vale ON ficou em queda de 1,57%.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica, que passou a vigorar de 04 de setembro a 28 de dezembro no Ibovespa, mostra os cinco ativos com maior peso no índice: Itauunibanco PN (10,846%), Bradesco PN (8,485%), Ambev ON (7,039%), Petrobras PN (4,883%) e Vale ON (9,040%).

Commodities

O petróleo referência, Brent, ficou em queda na bolsa de Futuros de Londres em 0,33% aos US$64,34 o barril.

O petróleo WTI ficou estável e cotado a US$ 57,30 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, fechou em alta de 0,31% aos US$68,13 a tonelada seca e com 62% de pureza.

A celulose fibra longa negociada fechou US$959,57, alta de 0,01%, a tonelada na sessão anterior. A celulose fibra curta fechou em US$953,00 e alta de 0,45%, a tonelada.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia