Ibovespa mantém alta aos 71.329 pontos e IEE devolve

Volume financeiro ficou em R$6,5 bilhões

Balanços trimestrais

O Ibovespa fechou com ganhos nesta terça-feira, com os investidores ajustando posições e com as atenções para o comportamento das commodities, em especial o petróleo por conta das inundações no território do Texas, Estados Unidos. O radar também permaneceu em Brasília e sem nenhum passo adiante com a reforma Política, entre outras.

Ao final, o Ibovespa ficou em alta de 0,44% aos 71.329 pontos. O volume financeiro ficou em R$6,5 bilhões. O IEE ficou em queda de 0,15%.

“O comportamento de hoje ficou por conta de commodities, conflitos geopolíticos e com as expectativas para as votações em Brasília. Para o investidor, com as decisões importantes no Congresso caminhando é o sinal pleno do destravamento da economia. Hoje, os bancos reagiram e o humor voltou em Wall Street, mesmo com o cenário crítico do Texas”, disse o gerente de Bovespa da HCommcor, Ari Santos.

As ações com ganhos
Embraer ON, alta de 4,11%; Cemig PN, alta de 2,26%; Cyrela ON, alta 2,47%; Sabesp ON, alta de 2,07%; e Braskem PNA, alta de 1,85%.

As ações com perdas
Eletrobras ON, queda de 2,67%; Klabin UNT N2, queda de 1,96%; Copel PNB, queda de 2,06%; JBS ON, queda 1,98%; WEG ON, queda de 1,26%.

A Petrobras ON ficou em queda de 0,69% e a PN, queda de 0,14%.
A Vale ON ficou em alta de 0,23% e a PN, alta de 0,06%.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica, que passou a vigorar de 02 de maio a 01 de setembro no Ibovespa, mostra os cinco ativos com maior peso no índice: Itauunibanco PN (11,453%), Bradesco PN (8,244%), Ambev ON (7,299%), Petrobras PN (5,331%) e Vale PNA (4,727%).

Commodities

O petróleo WTI, para entrega em setembro, segue em queda de 0,47%, cotado a US$ 46,38 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, fechou em queda de 1,02% aos US$76,36 a tonelada seca e com 62% de pureza.

A celulose fibra longa negociada fechou US$890,59, queda de 0,01%, a tonelada na sessão anterior. A celulose fibra curta fechou em US$879,55 e queda de 0,01%, a tonelada.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia