Ibovespa mantém a alta de 0,6% e o IEE em 0,3%

O giro financeiro ficou em R$8,3 bilhões

Recomendação

O Índice Bovespa fechou no azul nesta quarta-feira, com os investidores elevando as apostas em papéis de peso e realizando com a Eletrobras depois da valorização nas ações em quase 50% nas negociações de ontem. As  discussões e aprovações em Brasília também ajudaram nas compras, em destaque a aprovação da taxa de longo prazo e o pacote de ativos colocados para a privatização pelo Governo Federal.

Ao final da jornada,  o Ibovespa ficou em alta de 0,67% aos 70.477 pontos. O giro financeiro ficou em R$8,3 bilhões. O IEE ficou em alta de 0,36%.

“No pregão houve realização com Eletrobras. Logo depois outros papéis subiram, como os bancos e também as commodities puxando a  Vale, Petro e siderúrgicas. As expectativas para as aprovações de reformas e o pacote de ativos para privatização anunciado hoje pelo governo federal também contribuíram para manter o índice principal acima dos 70 mil ”, destacou o gerente de Bovespa da HCommcor, Ari Santos.

As ações com ganhos

Gerdau Met. PN, alta de 7,42%; Usiminas PNA, alta de 3,85%; Gerdau PN, alta de 2,46%; Lojas Renner ON, alta de 2,99%; e Estacio Part. ON, alta de 2,64%.

As ações com perdas

Eletrobras ON, queda de 11,04%; Eletrobras PNB, queda de 9,13%; Smiles ON, queda de 1,99%; MRV ON, queda de 1,72%; e Suzano Papel PNA, queda de 1,88%.

A Petrobras ON ficou em alta de 0,07% e a PN, queda de 0,22%.

A Vale ON ficou em alta de 2,13% e a PN, alta de 1,59%.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica, que passou a vigorar de 02 de maio a 01 de setembro no Ibovespa, mostra os cinco ativos com maior peso no índice: Itauunibanco PN (11,453%), Bradesco PN (8,244%), Ambev S/A ON (7,299%), Petrobras PN (5,331%) e Vale PNA (4,727%).

Commodities

O petróleo WTI, para entrega em setembro, ficou em alta de 1,15%, cotado a US$ 48,38 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, fechou em queda de 2,30% aos US$77,82 a tonelada seca e com 62% de pureza.

A celulose fibra longa negociada fechou US$890,60, queda de 0,04%, a tonelada na sessão anterior. A celulose fibra curta fechou em US$879,49 e queda de 0,06%, a tonelada

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia