Ibovespa opera acima dos 71 mil pontos e o IEE devolve

O petróleo WTI, para entrega em setembro, segue em queda de 3,45%, cotado a US$ 46,22 o barril

Arquivo: UI

A bolsa de valores de São Paulo opera em alta nesta segunda-feira, com os investidores atentos para as votações no Congresso essa semana. De outro lado, ainda sobre o pacote de privatizações apresentado na semana passada, as análises e críticas prosseguem, com destaque para as dúvidas sobre o processo que será aplicado para a Casa da Moeda.

Há pouco, o Ibovespa estava em alta de 0,02% aos 71.089 pontos. O volume financeiro seguia para os R$3 bilhões. O IEE, que é o índice de energia elétrica, estava em queda de 0,17%.

As ações com ganhos
JBS ON, alta de 4,17%; Braskem PNA, alta de 2,50%; Ecorodovias ON, alta de 2,42%; BR Malls ON, alta de 2,38%; e Marfrig ON, alta de 1,84%.

As ações com perdas
Kroton ON, queda de 1,79%; Equatorial ON, queda de 1,68%; Eletrobras ON, queda de 1,37%; Bradesco ON, queda de 0,97%; e Bradesco PN, queda de 0,85%.

A Petrobras ON estava em queda de 0,76% e a PN, alta de 0,22%.
A Vale ON estava em alta de 1,68% e a PN, alta de 1,35%.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica, que passou a vigorar de 02 de maio a 01 de setembro no Ibovespa, mostra os cinco ativos com maior peso no índice: Itauunibanco PN (11,453%), Bradesco PN (8,244%), Ambev ON (7,299%), Petrobras PN (5,331%) e Vale PNA (4,727%).

Empresas

A Justiça julga improcedente ação da CCR (CCRO3). A Artesp, agência que regula as concessões no setor de transporte no estado de SP, informou que a justiça acolheu a defesa apresentada por ela na ação movida pela CCR por modificações em um projeto na Anhanguera, concluído em 2010. A Artesp calcula que caso a pedida da CCR fosse aceita, a condenação poderia atingir R$ 500 milhões. Notícia é negativa para a empresa, que pode ver seus papéis sofrendo no curto prazo, mas mantemos nossa recomendação positiva para CCRO3, sendo a empresa em Bolsa com melhor potencial para aproveitar as oportunidades de investimentos em infraestrutura no Brasil, tanto nos novos leilões, quanto no mercado secundário.

A Petrobras divulgou hoje a lista com 50 campos de petróleo terrestres que a estatal pretende vender, nos estados do Rio Grande do Norte e da Bahia. A empresa cederá a totalidade de seus direitos de exploração, desenvolvimento e produção em três conjuntos de campos nos dois estados do Nordeste.

Os campos se localizam nos pólos de Riacho da Forquilha (34 campos), no Rio Grande do Norte; Buracica (sete campos) e Miranga (nove campos), ambos na Bahia. A média diária de produção de petróleo e gás natural dos campos foi de 20,4 mil barris de óleo equivalente.

A Petrobras é operadora com 100% de participação em 46 desses campos. As exceções são Cardeal e Colibri, onde a estatal tem 50% de participação e a operadora é a Partex (que detém os outros 50%); e Sabiá da Mata e Sabiá Bico-de-Osso, onde a companhia detém 70% de participação, e a operadora é a Sonangol (que tem 30%). Os quatro campos ficam em Riacho da Forquilha.

Commodities

A tempestade tropical no Texas fez os contratos futuros de gasolina subirem mais de 10% diante dos danos causados nas refinarias. Pelo menos 15% da capacidade de refino dos Estados Unidos foram interrompidas, com as empresas evacuando as plataformas offshore e onshore desde a última sexta-feira.

O petróleo WTI, para entrega em setembro, segue em queda de 3,45%, cotado a US$ 46,22 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, fechou em queda de 1,57% aos US$77,15 a tonelada seca e com 62% de pureza.

A celulose fibra longa negociada fechou US$890,60, queda de 0,04%, a tonelada na sessão anterior. A celulose fibra curta fechou em US$879,49 e queda de 0,06%, a tonelada.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia