Ibovespa segue em alta e IEEX acompanha em 0,9%

Volume financeiro segue pra R$1 bilhão

Arquivo: UI

A bolsa de valores de São Paulo mantém o rali nesta quinta-feira, com os investidores realizando lucros ainda das sessões anteriores e seguindo descolados dos acontecimentos em Brasília. As discussões sobre as reformas da Previdência e Trabalhista estão na mesa de negociações, bem como as decisões de órgãos reguladores do País sobre as atuações da J&f Participações desde o último dia 17.

Há pouco, o Ibovespa estava em alta da 0,84% aos 63.788 pontos.O IEEX segue em alta de 0,95%. O giro financeiro seguia para R$1 bilhão.

As ações com ganhos
Eletrobras ON, alta de 3,95%; Equatorial ON, alta de 2,92%; TIM Participações ON, alta de 1,98%; Eletrobras PNB, alta de 2,55%; Qualicorp ON, alta de 2,91%; Siderúrgica Nacional ON, alta de 1,45%; Bradespar PN, alta de 0,49%; e Gerdau PN, alta de 1,55%.

As ações com perdas
Cyrela Realt ON queda de 1,33%.

A Vale ON estava em alta de 1,24% e a PN, alta de 0,69%.
A Petrobras ON estava em alta de 1,42% e a PN, alta de 1,58%.

Empresas

A Justiça derruba ação que visava barrar vendas da Petrobras (PETR4). A petrolífera anunciou que a Justiça Federal do Sergipe extinguiu a ação popular que buscava suspender o processo da venda de um conjunto de campos em águas rasas, em função da decisão do Tribunal de Contas da União, que autorizou a continuidade de seu programa de desinvestimentos, mediante alguns procedimentos.

A CSN (CSNA3) em desconformidade com a SEC. A siderúrgica anunciou que não conseguiu arquivar as Demonstrações Financeiras e o Formulário 20-F, referente ao exercício de 2016, ficando em desconformidade com as obrigações da SEC e de listagem da bolsa de Nova York (NYSE). A companhia também declarou que não possui uma data estimada para arquivar tais documentos, sendo que os auditores externos estão trabalhando em certos “tratamentos contábeis relacionados à combinação de negócios, pela qual a CSN Mineração adquiriu o controle da Namisa”. Sobre a investigação interna solicitada pelo Comitê de Auditoria, devido à notícia de um suposto pagamento de R$ 16,5 milhões durante a construção de sua usina de aços longos, a siderúrgica disse estar em fase final, não tendo identificado nenhum ato ilícito ou impróprio, até então.

A Suzano (SUZB5) e Fibria (FIBR3) elevam preços. As duas companhias anunciaram, ontem, mais um aumento nos preços de seus produtos, a ser aplicado a partir de 1º de junho. O discurso das duas empresas é que a demanda ainda está aquecida e que há atraso na chegada da oferta de celulose das novas fábricas ao mercado. A Suzano reajustará as cotações dos preços nos mercados da China e na América do Norte, já na Europa, ainda não houve anúncio de aumento por enquanto. Já a Fibria, anunciou reajustes de US$ 20 a US$ 40 por tonelada para a matéria-prima vendida a todo o seu mercado.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica, que passou a vigorar de 02 de maio a 01 de setembro no Ibovespa, mostra os cinco ativos com maior peso no índice: Itauunibanco PN (11,453%), Bradesco PN (8,244%), Ambev S/A ON (7,299%), Petrobras PN (5,331%) e Vale PNA (4,727%).

Commodities
O petróleo tipo WTI para entrega em julho encontra-se flutuando em torno de US$ 51,05 O barril, queda de 0,60%.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, fechou em queda de 2,39% a US$60,52 a tonelada seca e com 62% de pureza.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia