Ibovespa suaviza queda a 0,1% com Previdência e política

O volume financeiro ficou em R$7,3 bilhões

Ibovespa

A bolsa de ações paulista fechou em queda nesta segunda-feira. Os investidores estão atentos para as discussões entre o governo e parlamentares sobre a reforma da Previdência, apesar de marcada para entrar novamente na pauta a partir do dia 05 de dezembro.

As articulações políticas para a disputa de lideranças nos partidos com propósito da corrida presidencial ficaram ainda mais evidentes nesta segunda-feira.

Ao final, o Ibovespa ficou em queda de 0,13% aos 74.058 pontos. O volume financeiro ficou em R$7,3 bilhões. O IEE ficou em queda de 0,40%.

“O mercado segue atento para a reforma da Previdência, com a sinalização de uma decisão a partir do dia 05. No entanto, a corrida presidencial já está no radar, principalmente hoje com a desistência de Luciano Huck e o governador Alckmim já se posicionando como candidato. Lá fora, as medidas fiscais dos EUA também deverão pressionar com a discussão no Senado essa semana”, pontuou o diretor da Codepe Investimentos, José Costa Gonçalves.

As ações com ganhos
Gerdau PN, alta de 3,02%; Gerdau PN, alta de 2,69%; Ecorodovias ON, alta de 3,52%; Klabin UNT, alta de 2,47%; e Usiminas PNA, alta de 2,40%.

As ações com perdas
Copel PNB, queda de 3,95%; CPFL ON, queda de 2,10%; Braskem PNA, queda de 3,53%; Marfrig ON, queda de 2,27%; e Eletrobras PNB, queda de 1,46%.

A Petrobras ON ficou em queda de 1,39% e a PN, queda de 1,43%.

A Vale ON ficou em queda de 1,06%.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica, que passou a vigorar de 04 de setembro a 28 de dezembro no Ibovespa, mostra os cinco ativos com maior peso no índice: Itauunibanco PN (10,846%), Bradesco PN (8,485%), Ambev ON (7,039%), Petrobras PN (4,883%) e Vale ON (9,040%).

Commodities

O petróleo referência, Brent, ficou em queda na bolsa de Futuros de Londres em 0,47% aos US$63,64 o barril.

O petróleo WTI segue em queda de 1,63%, cotado a US$ 57,99 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, fechou em queda de 0,99% aos US$67,27 a tonelada seca e com 62% de pureza.

A celulose fibra longa negociada fechou US$959,50, alta de 0,01%, a tonelada na sessão anterior. A celulose fibra curta fechou em US$948,69 e alta de 0,89%, a tonelada.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia