Leilão de energia A-5 rende R$67,4 bilhões

Preço médio de venda do leilão foi R$ 259,19 por MWh

Tarifas

O  leilão de geração A-5 realizado hoje (30/4) na sede da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), em São Paulo (SP), registrou deságio médio de 0,92% e preço médio de venda de R$ 259,19 por MWh. No certame, foi contratada energia elétrica proveniente de novos empreendimentos de geração a partir de fontes hidrelétrica e termelétrica – a carvão, gás natural em ciclo combinado e biomassa.  A energia negociada no leilão “A-5” terá início de suprimento em 1º de janeiro de 2020. Venceram, ao todo, 14 projetos nos estados de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Bahia, Sergipe, Goiás e Rio Grande do Sul.

O preço médio de venda do leilão foi R$ 259,19 por MWh e foram vendidos 260.111.035,200 MWh, num total de R$ 67,4 bilhões transacionados. Foram contratados 11.466 lotes e uma potência a ser injetada no sistema de 1.973,370 MW.

Os contratos por quantidade de energia para empreendimentos hidráulicos tiveram preço médio de R$ 183,66 por MWh e, para usinas térmicas por disponibilidade de energia, R$ 278,46 por MWh. O preço inicial da energia da Usina Hidrelétrica (UHE) Itaocara I foi de R$ 155,00 e a venda ocorreu por R$ 154,99.

Os contratos por quantidade (empreendimentos hidrelétricos) têm prazo de suprimento de 30 anos e os contratos por disponibilidade (diferenciados por fontes – termelétricas a carvão, gás natural em ciclo combinado e biomassa por Custo Variável Unitário – CVU igual a zero) têm prazo de suprimento de 25 anos.

De acordo com o Diretor da ANEEL, André Pepitone, a contratação das PCHs foi uma surpresa bastante positiva. “Nós revisamos o preço das PCHs e ele acabou ficando competitivo e aderente às expectativas do mercado. Conseguimos contratar oito PCHs, um número bastante significativo”, afirmou.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia