Leilão de Transmissão: Isolux Ingeneiria arremata lotes D e H

A empresa apresentou oferta de R$ 117,3 milhões para o Lote D

Energia garantida

Os  Lotes D e H do Leilão de Transmissão realizado nesta quarta-feira pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), na sede da BM&FBovespa, em São Paulo, foram arrematados pela Isolux Ingeneiria.

A empresa apresentou oferta de R$ 117,3 milhões, representando um deságio de 1,49% em relação à Receita Anual Permitida (RAP*) prevista pela agência no valor de R$ 119,1 milhões para o Lote D. Para o Lote H, a oferta foi de R$ 96 milhões, representando um deságio de 0,12% em relação à RAP prevista pela agência,  R$ 96,1 milhões.

O Lote D tem 436 quilômetros de linhas de transmissão e 300 MVA de potência, localizadas no estado do Pará. As obras ampliam a capacidade e a confiabilidade ao atendimento do sistema elétrico naquela região.

O Lote H tem 250 quilômetros de linhas de transmissão e 150 MVA de potência, localizadas em Rondônia. Os empreendimentos reforçam o sistema de transmissão que escoa a energia gerada nas uinas do rio Madeira e ampliar a interligação de algumas regiões atendidas pelo sistema isolado.

Já a empresa Planova e Construções arrematou o Lote J com oferta de R$ 17,7 milhões, valor da RAP prevista pela Agência.​

O Lote J tem 158 quilômetros de linhas de transmissão localizados no Rio Grande do Sul para aumentar a capacidade dos potenciais elétricos daquele estado.

Para o Lote I, sem interessados, apresentava 90 quilômetros de linhas de transmissão e 1.360 MVA de potência, localizadas em Tocantins para atender o suprimento de energia elétrica de Palmas.

A Celg Geração e Transmissão arrematou o Lote K e oferta de R$ 17,8 milhões, representando um deságio de 15,50 % em relação à RAP prevista pela agência no valor de R$ 21,1 milhões.

O Lote K é composto por um compensador estático instalado em Goiás para reforço antecipado que possibilita exportações de grandes blocos de energia da Região Norte e da usina hidrelétrica de Belo Monte.​

Sem ofertas

Não houve interessados em concorrer aos lotes A, B e C . O lote A apresentava 1,3 mil quilômetros de linhas de transmissão e 4.430 MVA de potência, localizadas no estado de Minas Gerais. Os lotes B e C eram compostos por 1,005 quilômetros de linhas de transmissão e 1500 MVA de potência, localizadas na região Norte e do Baixo Araguaia, no Magro Grosso.

Para os Lotes E, F e G, também não houve interessados. O lote E representava 626 quilômetros de linhas de transmissão e 1.960 MVA de potência, localizadas nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul; o lote F, 582 quilômetros de linhas de transmissão e 400 MVA de potência, localizadas nos estados de Alagoas, Pernambuco, Sergipe e Paraíba; e o lote G, 95 quilômetros de linhas de transmissão e 700 MVA de potência, localizadas nos estados do Piauí e do Maranhão.

*A RAP é a receita a que o empreendedor terá direito pela prestação do serviço de transmissão a partir da entrada em operação comercial das instalações.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia