Lucro líquido da Eletrobras fica em R$550 milhões no 3T17

O lucro líquido da companhia acumulado no ano é de R$ 2,272 bilhões

Arquivo: UI

A Eletrobras apresentou na noite desta segunda-feira (13) o resultado financeiro referente ao terceiro trimestre de 2017 e do acumulado do ano.

O lucro líquido ficou em R$ 550 milhões no terceiro trimestre de 2017. O resultado reportado junto a CVM é 37% inferior ao lucro líquido do 3T16, influenciado pela contabilização da remuneração da RBSE em valor superior no 3T16 em relação ao 3T17, devido ao inicio do recebimento dos valores em agosto de 2017. Entretanto, o lucro líquido gerencial do 3T17 (com ajustes feitos pela empresa para eliminar efeitos não-recorrentes) foi de R$ 449 milhões, 267% maior que o mesmo período de 2016.

O lucro do terceiro trimestre foi impactado positivamente por reversões de contratos onerosos e impairments, devido principalmente ao lançamento e adesões do PAE – Plano de Aposentadoria Extraordinária. O resultado acumulado em 2017 é de um lucro líquido de R$ 2,272 bilhões e Ebitda CVM de R$ 10,284 bilhões. O Ebitda gerencial acumulado dos nove meses de 2017 é de R$ 4,724 bilhões, 65% maior que o do mesmo período do ano de 2016.

A receita operacional líquida foi de R$ 8,892 bilhões, aumento de 4% em relação ao 3T16; o Ebitda CVM (calculado pelas regras da Comissão de Valores Mobiliários) no 3T17 foi de R$ 2,850 bilhões; o Ebitda Gerencial (com ajustes feitos pela empresa para eliminar efeitos não-recorrentes) foi de R$ 1,391 bilhão, um aumento de 71% em relação ao 3T16. O total de investimentos da companhia no ano foi de R$ 3,764 bilhões, sendo R$ 1,305 bilhão somente no 3T17.

No âmbito da gestão da companhia, um dos maiores destaques foi a redução do indicador Dívida Líquida / Ebtida Ajustado de 8,7, no 3T16, para 4,1 no 3T17, se aproximando da meta de 4,0 estabelecida no “Desafio 21: Excelência Sustentável”, o Plano Diretor de Negócios e Gestão 2017-2021 da companhia.

Entre outros destaques do período estão a conclusão do Plano de Aposentadoria Extraordinária, com adesão de 2.108 empregados e economia de R$ 877 milhões por ano, equivalente a 95% da meta do PDNG; a obtenção da Certificação do Indicador de Governança – IG/SEST – Nível 1 (Excelência); a conclusão de 75,6% do projeto de implantação do CSC; e a conclusão de R$ 50,1% do projeto ProERP, com expectativa de implantação em quatro empresas do Rio até janeiro de 2018.

Foram destaques também a divulgação das definições da privatização das distribuidoras da Eletrobras pelo Programa de Parcerias e Investimentos (PPI) da Presidência da República e o inicio do processo de discussão sobre a potencial democratização do capital da holding no âmbito do PPI.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia