Nível do Cantareira fica estável pelo terceiro dia seguido

No Sistema Alto Tietê, o nível vem baixando há cinco dias seguidos e atingiu hoje 20,6% de sua capacidade total

Cantareira estável

O  nível do Sistema Cantareira, o maior manancial de abastecimento da região metropolitana de São Paulo, manteve-se estável hoje (17) em 19,9% sem considerar a utilização da reserva técnica (água que fica abaixo das comportas). No cálculo que leva em consideração o bombeamento dessa água, o Sistema opera com 15,4% de sua capacidade total com um estoque de 195,7 bilhões de litros.

Esse Sistema continua com a pior condição hídrica entre os seis mananciais administrados pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). O armazenamento está com um déficit de 9,3% e, para repor toda a água da reserva técnica, precisaria receber mais 91,8 bilhões de litros. Atualmente, esse manancial abastece 5,2 milhões de pessoas.

As chuvas registradas na última segunda-feira (15) ajudaram a evitar um agravamento maior, mas não foram suficientes para atingir a média esperada para esse período. Nas últimas 24 horas, até às 9h da manhã de hoje (17), nenhuma gota de chuva caiu sobre esse manancial. A pluviometria acumulada desde o começo do mês está 22,1 milímetros (mm), o que é 37,7% da média histórica do mês de junho (58,5 mm).

No Sistema Alto Tietê, o nível vem baixando há cinco dias seguidos e atingiu hoje 20,6% de sua capacidade total, com um volume de chuva em 11,3 mm, ou 20,4% do esperado (55,5 mm).

Esse manancial atende 4,5 milhões de pessoas nos municípios de Arujá, Itaquaquecetuba, Poá, Ferraz de Vasconcelos, Suzano, além de abastecer parcialmente, as cidades de Mauá e Mogi das Cruzes, bairros dos Pimentas e Bonsucesso, em Guarulhos e ainda parte da zona Leste da capital paulista.

No Guarapiranga, o acumulado de chuva em 16 dias alcançou 13,2 mm ou 24,6% da média histórica para todo o mês (53,7 mm). Esse sistema opera em queda e passou de 76,8 mm para 76,5 mm. No Alto Cotia, o nível ficou estável em 65,2 mm,  mas é o que obteve menor captação até agora somando apenas 10,4% do total esperado para o mês (57,8 mm).

No sistema Rio Grande o nível passou de 89,8 mm para 89,6 mm e a pluviometria está em 12,6 mm ou 20,9% da média histórica (60,3 mm). Já no Rio Claro, onde o nível teve ligeira baixa entre ontem (16) e hoje (17), de 55,1% para 55%, o volume de chuva é o que apresenta o segundo melhor resultado embora também inferior ao esperado. As captações atingiram 33,2 mm ou 34,8% da média histórica para todo o mês (95,4 mm).

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia