Novas ações reforçarão energia nos picos de consumo do verão 2016

Até 2018, 257 linhas de transmissão estão contratadas

Autoprodutores

O Governo Federal está desenvolvendo diversas novas ações com o objetivo de aumentar a segurança energética do País e assegurar tranquilidade no suprimento de energia elétrica mesmo nos horários de ponta de carga do próximo verão, ainda que a hidrologia continue desfavorável, afirmou o secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia (MME), Luiz Eduardo Barata, nesta segunda-feira (15/06).

Barata também destacou que o fornecimento de energia está assegurado, e que o esforço do governo agora passa a ser a redução do preço que se paga pela energia elétrica.

“Esse barateamento virá através da compra de uma energia mais barata, nos leilões que foram feitos e que vem sendo feitos. Vamos ter de fazer uma substituição das fontes que temos hoje, que são caras. O esforço que está sendo feito é de substituir essa energia, que é basicamente gerada a partir de combustíveis líquidos, e sendo substituído por gás natural”, explicou aos jornalistas antes de participar de painel no evento “Diálogos Capitais”, em São Paulo, promovido pela Revista Carta Capital.

Entre as ações que estão em curso, explicou Barata, está a criação de um programa para estimular a geração distribuída (quando o consumidor gera a energia), que inclui a realização de chamada pública para a compra da eletricidade excedente desses consumidores; e o incentivo à microgeração solar fotovoltaica, com assinatura de convênio entre os estados para mudanças na tributação do ICMS. Também estão programados um leilão para usinas térmicas a gás natural de partida rápida, com foco no atendimento dos picos de demanda, e a intensificação dos intercâmbios de energia com os países vizinhos.

Em sua apresentação, Barata traçou um panorama do setor energético brasileiro atual. De acordo com o secretário-executivo, a meta é acrescentar 6.400 MW de capacidade instalada em novas usinas em 2015, dos quais já foram incorporados mais de 2.500 MW. Na transmissão, serão mais 7.120 km de linhas de transmissão em 2015.

Este ano, foram realizados dois leilões de energia, com a contratação de 25 usinas, com capacidade total de 2.452 MW, que representam investimentos de R$ 6,5 bilhões. Ainda estão programados mais quatro leilões para este ano, sendo três de energia de reserva e um para entrega de energia dentro de três anos (A-3). Na Transmissão, serão realizados três leilões em 2015, nos dias 17 de julho, 16 de outubro e 18 de dezembro; com investimentos totais previstos de R$ 27 bilhões, para 19 mil km de linhas.

Até 2018, 257 linhas de transmissão estão contratadas, com 36 mil km de extensão. Na geração, 525 usinas estão contratadas, que irão incorporar 40 mil MW de capacidade instalada ao sistema de geração entre 2015 e 2018.

 

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia