PESQUISA: Ernst & Young mostra que critérios de sustentabilidade é determinante para realização de negócios

Base foi o Manual de Compras Sustentáveis desenvolvido pela EY a pedido do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável

Mudanças

Sustentabilidades vem ganhando força nas estratégias de compras das grandes empresas, é o que indica recente pesquisa da Ernst & Young (EY). O levantamento, realizado com líderes de 14 empresas de grande porte no país, mostrou que 73% dos gestores acreditam que a incorporação de critérios de sustentabilidade nas compras já é determinante para a realização dos negócios.

A pesquisa teve como base o Manual de Compras Sustentáveis desenvolvido pela EY a pedido do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS). O levantamento revelou que as grandes empresas estão engajadas na defesa do meio ambiente, e que selecionam seus fornecedores pelo critério da consciência ambiental. Contudo, 53% dos executivos entrevistados afirmaram que a introdução de critérios de sustentabilidade para compras aumenta os custos totais de aquisição. Para 13% deles o aumento é significativo.

A contratação de mão-de-obra qualificada e o fornecimento de matéria-prima foram consideradas as categorias mais críticas para a incorporação de critérios de sustentabilidade no processo de compras.

Para a maioria dos respondentes, a sociedade e o governo pressionam cada vez mais as empresas a avançar no tema de sustentabilidade na cadeia de fornecedores. Empresas que atuam de forma global já conseguem quantificar os ganhos com a adoção de práticas sustentáveis

“As empresas são comandadas por pessoas, e estas são suscetíveis a pressões da sociedade e às necessidades de seus consumidores”, diz Mario Lima, diretor de consultoria em sustentabilidade da EY. Para Lima, a adoção de critérios de compras sustentáveis é uma prática que se paga em médio e longo prazo e tem como retorno uma maior confiabilidade nos fornecedores, maior garantia de direitos humanos e trabalhistas em toda cadeia de suprimentos, maior eficiência operacional e relacionamento mais estreito com seu mercado consumidor.

Para 63% dos respondentes, o tema sustentabilidade na sua cadeia de suprimentos é estratégico, com apoio da alta liderança. A pesquisa ainda revelou que bancos e seguradoras são as empresas que mais investem em sustentabilidade, seguidos pela indústria de cosméticos e bens de consumo.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia