PLD da primeira semana de fevereiro fica com mesmo teto para todas regiões

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) divulgou nesta sexta-feira, o Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) para o período de 31 de janeiro a 06 de …

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) divulgou nesta sexta-feira, o Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) para o período de 31 de janeiro a 06 de fevereiro de 2015, novamente fixado em R$ 388,48/MWh.

O custo marginal de operação dos submercados Sudeste e Sul apresentou elevação em torno de 33%, enquanto no Nordeste e Norte houve redução de cerca de 40%. Mesmo com esta baixa, os preços de Nordeste e Norte permaneceram acima do limite fixado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para o PLD em 2015, o que manteve o indicador no teto regulamentar. A diferença entre os custos dos submercados ocorreu devido à máxima utilização dos recursos hidráulicos do Norte e o consequente envio de energia para o Sudeste, o que fez com que o limite de intercâmbio de energia entre essas regiões fosse atingido.

A dissipação do sistema de alta pressão que esteve presente em janeiro permite o avanço das frentes frias e elevação das afluências para fevereiro, que devem ficar em torno de 50% da média histórica no Sudeste e em 76% no Norte, enquanto o Nordeste apresenta a pior previsão, de 18% da média. Apenas o Sul tem previsão acima da média (126%), com expectativa de manutenção destes valores durante todas as semanas de fevereiro.

A conjuntura hidrológica negativa verificada em janeiro impactou os níveis de armazenamento das hidrelétricas, que ficaram abaixo do que havia sido previsto para a primeira semana de fevereiro. Houve redução de aproximadamente 1.100 MWmédios em energia disponível nos reservatórios do Sudeste, 600 MWmédios no Norte e 1.400 MWmédios no Sul – embora este submercado tenha apresentado afluências acima da média, a baixa ocorreu devido ao envio de energia para o Sudeste. Por outro lado, o constante recebimento de energia pelo Nordeste permitiu que o nível de armazenamento na região se mantivesse praticamente estável.

Com a expectativa de queda das temperaturas para as próximas semanas, é esperada uma redução do consumo na ordem de 700 MWmédios no sistema, com baixa em torno de 1.000 MWmédios no Sudeste e no Nordeste, enquanto Sul e Norte deverão consumir cerca de 350 MWmédios a mais de energia.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia