Cemig busca na França novos negócios para setor elétrico

Negociações giram em torno de investimentos em inovação e sustentabilidade

Negócio fechado

A Cemig busca na França o restabelecimento de contatos com empresários e associações empresarias. O presidente da companhia mineira de energia, Mauro Borges Lemos, esteve no País para estimular investimentos franceses e parcerias no setor elétrico de Minas Gerais. Esse é um importante passo para promover o desenvolvimento econômico do Estado.

A Cemig lidera um grupo de mais de 200 empresas, compondo o maior grupo integrado de energia elétrica do país. O presidente esteve em Paris, nesta semana, quando apresentou uma lista de oportunidades de negócios, para investimentos franceses relacionados ao setor de energia, participando de uma missão empresarial liderada pelo governador Fernando Pimentel.

A tradição de parcerias entre a Cemig e a França vem desde a década de 60, quando um convênio com a Electricité de France deu início à Escola de Formação Profissional, que se tornou referência em treinamentos de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica, no Brasil e na América Latina. Com o passar do tempo a escola se transformou na UniverCemig, a universidade corporativa da Cemig, que atualmente funciona no campus de Sete Lagoas (MG).

“Seguindo as tendências atuais do setor elétrico, as negociações giram em torno de investimentos em inovação e sustentabilidade, que são aspectos fundamentais para a atuação da Cemig, e algumas delas já se encontram em estágio final de negociação, inclusive para se concluir no marco da COP 21, em dezembro”, disse Mauro Borges Lemos.

No final do ano, a França irá sediar a Conferência do Clima de Paris (COP 21), cuja agenda é chegar a um acordo global sobre mudanças climáticas.

Oportunidades

As principais oportunidades de negócios destacadas pela Cemig são projetos em energia renovável (eólica e solar), termoelétricas, eficiência energética e equipamentos de transmissão. Na área de energia solar, cujos custos vêm caindo progressivamente, a Cemig desenvolve trabalhos pioneiros tanto em sua forma fotovoltaica quanto na forma térmica. A Usina Solar Fotovoltaica (USF) do Mineirão, construída e operada pela Concessionária, é uma das maiores em cobertura de arenas desportivas do mundo. Além disso, em 2013, a Cemig lançou o Atlas Solarimétrico. Segundo dados desse trabalho, os índices de radiação solar são de 5,5 a 6,5 kWh/m²/dia em mais de metade da área do Estado, caracterizando sua adequação à implantação de empreendimentos solares.

Já em relação à energia eólica, vale ressaltar que essa matriz registra grande crescimento no Brasil. Uma das empresas do Grupo Cemig, a Renova, é uma das principais geradoras desta fonte de energia no país. A rápida expansão da geração nesta matriz assegura oportunidades, para produção e venda de equipamentos, que, a partir de Minas Gerais, podem ser comercializados em todo o Brasil. Estima-se que, até 2019, a capacidade das usinas eólicas instaladas no País vai triplicar, atingindo 17,70 GW, superior à da Usina Hidrelétrica Itaipu, a segunda maior do mundo com 14 GW de potência.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia