Cemig e SunEdison com foco solar

Implantação dos dois parques solares, localizados no interior da Bahia, é o primeiro empreendimento resultante da associação

Geração e transmissão

O consórcio formado pela Renova, empresa que faz parte do Grupo Cemig, e a SunEdison,  mundial na implantação e operação de parques solares, saiu vencedor do Leilão de Energia Solar, na sexta-feira (28), viabilizando a implantação de dois parques com o total de 59,67 MW (megawatts) de potência, a um valor de R$ 305,51 o megawatt hora, próximo aos menores já registrados no mundo para esse tipo de energia. Com a evolução da tecnologia, a tendência é que o preço da geração solar chegue a patamares mais baixos do que o de outras matrizes energéticas.

Esse foi o primeiro leilão do governo federal exclusivo para projetos fotovoltaicos, que deverão iniciar o fornecimento de energia já a partir de 1º de agosto de 2017, com prazo de suprimento de 20 anos. Ao todo, serão injetados mais 833 MW de potência no sistema interligado de energia do País, equivalente a duas vezes a potência da Usina Três Marias (396 MW), no Rio São Francisco. Minas Gerais, Bahia, Piauí, Tocantins e Paraíba são os estados que atraíram os investidores do Brasil e do exterior nesse leilão.

A participação da Cemig, junto com uma empresa que é líder mundial na tecnologia, foi saudada pelo seu presidente, Mauro Borges Lemos. “Por meio da Renova, concluímos recentemente a associação com a SunEdison, que é uma das maiores empresas integradas do mundo nesse setor com uma longa trajetória, na qual desenvolveu a capacidade na área de semicondutores, e que está atuando agora na geração solar a partir da microeletrônica, cuja base tecnológica é a mesma do desenvolvimento das placas fotovoltaicas”, explicou.

A implantação dos dois parques solares, localizados no interior da Bahia, é o primeiro empreendimento resultante da associação entre a Renova e a SunEdison, anunciada este ano. Esse acordo vai permitir que a empresa do grupo Cemig se mantenha na liderança do setor de renováveis, no qual já opera o maior parque eólico da América Latina, passando também a atuar na energia fotovoltaica a preços competitivos internacionalmente.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia