COPEL: Complexo Eólico Cutia tem Revisão no Cronograma

Vale destacar que, conforme o CER, a não entrega do montante de energia não sujeita o vendedor à exposição financeira no Mercado de Curto Prazo

Divulgação

A Companhia Paranaense de Energia – Copel comunica a seus acionistas e ao mercado em geral que a entrada em operação comercial do Complexo Eólico Cutia, originalmente prevista para outubro de 2017, foi revisada para junho de 2018.

O Complexo Eólico Cutia, que é composto por sete parques eólicos (Guajiru, Jangada, Potiguar, Cutia, Maria Helena, Esperança do Nordeste e Paraíso dos Ventos do Nordeste) todos localizados no Estado do Rio Grande do Norte, possui 180,6 MW de capacidade instalada total e 71,4 MW médios de garantia física, e teve a sua energia comercializada no 6º Leilão de Reserva que ocorreu em 31 de outubro de 2014, ao preço médio de R$ 174,36/MWh (agosto/2017), com início de suprimento previsto para 1º de outubro de 2017.

De acordo com o Contrato de Energia de Reserva (CER), a receita prevista para o período de 1º de outubro de 2017 até a entrada em operação comercial de cada unidade geradora dos parques eólicos ficará retida e será utilizada para abater os ressarcimentos devidos por eventual geração anual e/ou quadrienal abaixo do montante contratado, enquanto que eventual remanescente positivo será lançado como crédito.

Vale destacar que, conforme o CER, a não entrega do montante de energia não sujeita o vendedor à exposição financeira no Mercado de Curto Prazo.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia