CPFL Energia inaugura eletropostos públicos de Campinas

Pesquisa, iniciada em 2013, receberá R$ 21,2 milhões em investimentos até 2018, ano de sua conclusão

Divulgação

A CPFL Energia, um dos maiores grupos privados do setor elétrico brasileiro, inaugura os dois primeiros eletropostos públicos de Campinas, ampliando para seis o número de pontos de carregamento em operação no âmbito do Programa de Mobilidade Elétrica do Grupo. As novas instalações permitirão o reabastecimento gratuito dos veículos elétricos que circulam pela região.

Os novos eletropostos possibilitarão o carregamento da frota de táxi elétricos já em circulação em Campinas que haviam sido comercializados pela BYD, além dos outros nove veículos que integram o Programa de Mobilidade Elétrica da CPFL e os demais carros que rodam pela região. De acordo com os dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), 1,8 mil unidades foram licenciadas no Brasil de 2012 a 2015, entre 100% elétricos e híbridos.

“Com os eletropostos públicos, companhia terá condições de avaliar o impacto dos veículos elétricos na rede de distribuição local e também ganhará know-how para desenvolver e operar uma rede própria de eletropostos”, afirma o diretor de Estratégia e Inovação do Grupo, Rafael Lazzaretti.

Os eletropostos serão do tipo carregamento rápido, reabastecendo 80% da bateria dos veículos em meia hora. Os equipamentos são compatíveis com os carros elétricos fabricados com plug tipo 2 (Mennekes), o que inclui as montadoras Renault, BYD e BMW. Cada ponto de carregamento tem um custo total estimado em R$ 30 mil e permite o abastecimento de energia elétrica de um carro por vez.

Os usuários cadastrados poderão recarregar seus veículos elétricos no eletroposto gratuitamente até que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) regulamente a cobrança para a mobilidade elétrica no País. “Os eletropostos públicos permitirão avançarmos nos estudos para propormos o enquadramento legislativo e regulatório para a constituição de um modelo de cobrança e tarifação no Brasil, assim como já ocorre em outros países, como EUA e Alemanha”, diz Lazzaretti.

Os pontos de carregamentos públicos foram viabilizados em parceria com a BYD. A fabricante chinesa será responsável por bancar a conta de energia dos eletropostos público, até que o modelo de cobrança definido pela Aneel esteja regulamentado. A CPFL Energia, como contrapartida, arcará com as despesas de compra e instalação dos equipamentos e, no caso do eletroposto na sua sede, com o custo da energia.

“Estamos apostando no sucesso da mobilidade elétrica no Brasil. Iniciamos nossos investimentos com a construção da primeira fábrica de ônibus elétricos no País em Campinas, e agora estamos trabalhando com a CPFL Energia para desenvolver a infraestrutura de recarga dos veículos elétricos que já estamos comercializando”, afirma o vice-presidente de venda da BYD no Brasil, Vagner Rigon.

No início de junho, a CPFL Energia anunciou uma parceria com a Rede Graal para a criação do primeiro corredor elétrico do País, entre Campinas e São Paulo. O acordo prevê a instalação de dois pontos de carregamento em postos da rede nas Rodovias Anhanguera e Bandeirantes, na altura do município de Jundiaí. Ao todo, o Programa de Mobilidade Elétrica irá instalar 30 eletropostos na área de concessão do Grupo.

Em aplicações residenciais, o custo do investimento, considerando as adequações elétricas e a instalação do eletroposto, é de aproximadamente R$ 5 mil e permite o recarregamento entre 6 e 8 horas da bateria do veículo.

P&D em mobilidade elétrica

Os dois primeiros eletropostos públicos de Campinas fazem parte do Programa de Mobilidade Elétrica da CPFL Energia, um projeto de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) que estuda os impactos da utilização dos veículos elétricos financiado com recursos do programa de P&D da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A pesquisa, iniciada em 2013, receberá R$ 21,2 milhões em investimentos até 2018, ano de sua conclusão.

Atualmente, o projeto encontra-se na sua segunda fase. A expectativa nesta etapa é de ampliar a frota própria de veículos elétricos de seis para até 27 carros e aumentar o número de eletropostos em operação de quatro para até 30. Os pontos de recarregamento serão colocados em outros locais públicos, como shoppings centers, postos de serviços e na prefeitura, e em locadoras de carros.

Entre os temas que estão sendo estudados estão o impacto na rede elétrica e no planejamento da expansão do sistema, uso dos veículos elétricos como fonte de geração distribuída, os aprimoramentos regulatórios e legais, o ciclo de vida e reaproveitamento das baterias, estudo de tarifas e cobrança, a proposição de um modelo de negócios para a mobilidade elétrica no Brasil, além de outras questões relacionadas.

O projeto conta, atualmente, com a parceria institucional do CPqD, da Unicamp, da Daimon, da portuguesa CEiiA, da Renault, da Natura, da 3M, da Rede Graal e da BYD.

Serviço

Eletroposto 1 – área externa da Oficina Servicentro Automotivo (autorizada Service Bosch), na Rua Fernão Pompeu de Camargo, nº 800, bairro Jardim do Trevo.

Eletroposto 2– em frente à sede da CPFL Energia, na Rodovia Engenheiro Miguel Noel Burnier, nº 1755, no Parque São Quirino.

Para que possam usar os eletropostos, os usuários precisarão efetuar um cadastro prévio junto à equipe do Programa de Mobilidade Elétrica da CPFL pelo e-mail mobilidade.e@cpfl.com.br, informando nome, telefone, modelo e placa do carro.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia