Demanda de energia na indústria foi de 13.453 GWh em dezembro

Na indústria têxtil, o consumo de energia elétrica aumentou 8,6% em dezembro, o maior avanço do setor no ano

Arquivo: UI

Em dezembro, a demanda de eletricidade nas indústrias do país foi de 13.453 GWh, representando um avanço de 0,9% frente ao mesmo mês do ano anterior. Os dados são da Resenha Mensal, elaborada pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e foram apresentados hoje.

A taxas anuais foram se tornando menos negativas ao longo de 2016, principalmente no segundo semestre, e o ano se encerrou com crescimento em dezembro, o primeiro desde março de 2014.

Apesar disso, os indicadores industriais do último mês do ano passado reforçaram a conjuntura econômica adversa do país, com reduzido nível de demanda interna, custos elevados (tributos, logística, matéria-prima, energia etc ), dificuldades de acesso ao crédito e pela alta taxa de juros. Neste quadro recessivo, muitas empresas se encontram endividadas ou inadimplentes, a intenção de investir permanece baixa e a ociosidade do parque produtivo continua muito elevada, em torno de 28%, máxima histórica em dezembro conforme a série iniciada em 2001 pela FGV/IBRE. De acordo com o CAGED/MTE, a deterioração do mercado de trabalho também persistiu no mês, com a eliminação de 130.599 vagas formais de emprego na indústria de transformação.

O desempenho do consumo de energia elétrica dos dez principais segmentos consumidores da indústria nacional em dezembro/2016, com destaque positivo para os setores têxtil, papel e celulose, automotivo e metalúrgico.

O ramo extrativo de minerais metálicos anotou estabilidade no mês, o melhor resultado do segmento no ano.

Contribuíram para este desempenho a extração de minério de ferro no Pará (+3,0%), sobretudo pela maior demanda de planta extrativa em início de ramp-up; a extração de minério de ferro em Minas Gerais (+3,2%) e a saída da influência do desastre ambiental de Mariana/MG da base de comparação no consumo do Espírito Santo (+1,2%). A atividade extrativa na Bahia (-46,2%) seguiu puxando para baixo a demanda no setor no mês, em linha com a queda de produção de minério de cobre neste estado (PIM-PF/IBGE).

O consumo de energia no ramo automobilístico cresceu 5,1% em dezembro, acompanhando o aumento de 30,9% na produção de veículos, em grande parte para exportação (+34,3%), segundo a ANFAVEA. Os maiores avanços foram contabilizados em São Paulo (+4,5%) e Pernambuco (+36,6%). Em relação ao resultado do segmento este mês, é importante ressaltar a base baixa do consumo no setor em dezembro de 2015.

Na indústria têxtil, o consumo de energia elétrica aumentou 8,6% em dezembro, o maior avanço do setor no ano. Se sobressaíram os estados de Santa Catarina (+21,0%), em função da fabricação de outros artefatos têxteis e de vestuário, e do Ceará (+37,5%), em razão da produção de tecidos de algodão tintos e estampados, fios de algodão e tecidos de denim, índigos e brins.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia