Eletronorte e Amazons GT se posicionam sobre a repactuação do risco hidrológico

Subsidiárias optaram pelo não ao Ambiente de Contratação Livre

Volumes dos reservatórios

A Eletrobras comunicou o mercado sobre a decisão das empresas Eletrobras Eletronorte e Eletrobras Amazonas GT quanto à adesão à proposta de repactuação do risco hidrológico de geração de energia elétrica. O comunicado complementa o de 13 de janeiro deste ano.

As Centrais Elétricas do Norte do Brasil (Eletronorte) e Amazonas Geração e Transmissão de Energia (Amazonas GT), se posicionaram quanto à decisão de adesão à proposta de repactuação do risco hidrológico de geração de energia elétrica, relativo às suas usinas corporativas contratadas no Ambiente de Contratação Regulada (ACR), de acordo com Lei 13.203/2015, de 08 de dezembro de 2015 e a Resolução Normativa da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) 684/2015, de 11 de dezembro de 2015:

Eletronorte: UHE Tucuruí, produto de repactuação, SP100 ACR, prêmio de R$ 9,5 MWh e resultado a ser ressarcido referente aos efeitos da repactuação de 2015, R$33,55 MWh.

Amazonas GT: UHE Balbina, produto de repactuação, SP100 ACR, prêmio de R$ 9,5 MWh e resultado a ser ressarcido referente aos efeitos de repactuação de 2015, R$ 33,55 MWh.

As duas subsidiárias optaram por não aderir à repactuação do risco hidrológico de
geração de energia elétrica para o Ambiente de Contratação Livre (ACL).

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia