ENGIE assume operação das usinas Miranda e Jaguara

Para o consumidor final, a troca na gestão não trará mudanças, já que a energia gerada pelas usinas é entregue ao SIN por meio de empresas de transmissão e distribuição

Divulgação

A ENGIE assume nesta sexta-feira (29) a operação das usinas hidrelétricas Jaguara (424 MW) e Miranda (408 MW), ambas no Estados de Minas Gerais e adquiridas em leilão por R$ 3,5 bilhões. Arrematadas em setembro, as duas usinas estavam até o dia 28 com a operação das usinas compartilhada com a Cemig.

A aquisição dessas duas usinas representa aumento de capacidade instalada em energia renovável de base hidrelétrica, que é o forte da ENGIE no Brasil e, portanto, em linha com a estratégia de crescimento sustentável da empresa.

Para o consumidor final, a troca na gestão não trará mudanças, já que a energia gerada pelas usinas é entregue ao Sistema Interligado Nacional – SIN por meio de empresas de transmissão e distribuição. “Daremos continuidade na excelência operacional das duas hidrelétricas”, afirma o diretor-presidente da ENGIE Brasil Energia, Eduardo Sattamini. “Minas Gerais é um estado importante para o Brasil e onde a ENGIE já está presente com suas empresas de Serviços de Energia e de Engenharia”, observa Sattamini.

Por sua vez, o gerente da Regional Minas Gerais da ENGIE Brasil Energia, Rogerio Suematsu, destaca a inserção da empresa na região. “Queremos ser parceiros do desenvolvimento sustentável das comunidades vizinhas, que nos receberam da melhor maneira desde a operação compartilhada”.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia