Lucro líquido da AES Tietê foi de R$ 200 milhões no trimestre

Ebitda do 1T15 foi R$ 392,0 milhões

Arquivo:SE

O primeiro trimestre de 205 mostrou-se desafiador para o setor elétrico. Afluências abaixo da média histórica, alto despacho térmico e perspectivas de retração no consumo, são fatores que resultam na redução do despacho térmico e na alta exposição da Companhia ao rebaixamento no Mecanismo de Realocação de Energia no 1T15. Entretanto, a redução do preço spot médio no período, amenizou os impactos negativos, levando a Companhia a registrar um resultado positivo no 1T15.

Na esfera operacional, destacamos que a Companhia foi a primeira do setor de geração das Américas a obter a certificação de seu programa de gestão de ativos na ISO 55.001, reflexo de suas boas práticas.

Com foco na disciplina de execução e eficiência no uso de recursos, a AES Tietê reduziu seus custos gerenciáveis em 16% em comparação ao 1T14.

O Ebitda do 1T15 foi R$ 392,0 milhões e o lucro líquido foi de R$ 200,3 milhões.

A Companhia mantém sua estratégia para contratação da sua energia disponível e seu portfólio atual da Companhia totalizou a contratação de 74% para 2017, 47% para 2018, 24% para 2019 e 11% para 2020.

O programa de modernização das usinas recebeu investimentos de R$ 30,3 milhões no 1T15, visando a contínua melhoria das condições operacionais da AES Tietê e maior eficiência das usinas.

A Companhia pagará aos seus acionistas R$ 122,4 milhões como dividendo intermediário, correspondente a 61% do lucro líquido auferido no 1T15. Essa distribuição em montante inferior à totalidade do lucro líquido apurado no trimestre se deve à absorção do prejuízo acumulado de 2014 e constituição de reserva legal.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia