Lucro líquido da EDP Brasil avança 45% segundo trimestre de 2017

Entre abril e junho deste ano, as distribuidoras investiram R$ 125,5 milhões

Divulgação

A EDP Brasil, empresa que atua nas áreas de geração, transmissão, distribuição, comercialização e soluções em energia elétrica, anunciou o resultado financeiro na noite desta quarta-feira (26).

No segundo trimestre de 2017, a companhia registrou um crescimento de 45% no lucro líquido do segundo trimestre de 2017 frente ao mesmo período do ano anterior, alcançando os R$ 141,9 milhões. O EBITDA totalizou R$ 533,5 milhões entre abril e junho, 16,1% a mais do que nos mesmos meses de 2016.

No primeiro semestre, descontados os efeitos dos eventos não recorrentes que elevaram a base de comparação no ano anterior, os resultados também se mostraram positivos. O EBITDA ajustado da EDP chegou a R$ 1,036 bilhão, volume 18,3% maior do que o apresentado entre janeiro e junho do ano anterior. O lucro líquido teve uma alta de 86,2%, para R$ 252,3 milhões. Os números desconsideram os impactos de dois fatores não recorrentes: a conclusão da venda da Pantanal Energética em 2016 e a contabilização do seguro da Usina Termelétrica de Pecém.

“Os resultados da EDP refletem o bom desempenho do nosso portfólio de negócios, com destaque, neste trimestre, para as áreas de Comercialização, Distribuição e Geração Hídrica”, avalia o presidente da EDP Brasil, Miguel Setas.

No segundo trimestre, a receita líquida da EDPsomou R$ 2,581 bilhões, 27,4% maior do que o alcançado entre abril e junho de 2016. No acumulado do ano, o faturamento cresceu 19% na comparação anual, chegando a R$ 4,888 bilhões.

A companhia deu continuidade também à sua trajetória de controle de custos e manutenção dos gastos gerenciáveis abaixo dos níveis de inflação. No segundo trimestre do ano, o balanço da apresentou uma redução de 3,1% dos gastos com Pessoal, Material, Provisões e Outros (PMSO).

“A implementação, pelo terceiro ano consecutivo da Orçamentação Base Zero (OBZ), reflete de uma forma consistente em uma evolução dos custos de estrutura abaixo da inflação”, completa o presidente.

Investimentos

A EDP Brasil mantém em 2017 o seu compromisso com o investimento no País, e aumentou novamente os aportes, em todas as suas áreas de atuação. Ao todo, a companhia investiu cerca de R$ 157,8 milhões no segundo trimestre do ano, volume 10,3% superior ao registrado entre abril e junho de 2016. No primeiro semestre, foram investidos R$ 324 milhões, 35,6% a mais do que no mesmo período do ano anterior.

Entre abril e junho deste ano, as distribuidoras investiram R$ 125,5 milhões, volume 8,1% maior do que o registrado em 2016. Já no semestre, o aumento do nível de investimentos foi de 43,4%. Parte desse valor foi destinado ao programa de combate às perdas, investimentos na recomposição e manutenções preventivas na rede.

Como reflexos dos investimentos da EDP no combate às fraudes e furtos e em melhorias da rede, a Empresa registrou também uma redução das perdas totais. A estratégia da Companhia de blindar mais de 60% da sua base de consumo, entre outros investimentos, mostrou-se eficaz na prevenção, o que resultou em uma queda de 0,43 pontos percentuais em São Paulo e de 0,5 pontos percentuais no Espírito Santo.

Transmissão

Considerando o resultado consolidado dos leilões de outubro de 2016 e abril de 2017, a EDP conta hoje com um portfólio de projetos na área de Transmissão que somam um Retorno Anual Permitido (RAP) de R$ 494,2 milhões e um investimento de R$ 3,1 bilhões, que serão aplicados na construção de 1,3 quilômetros de linhas e quatro subestações.

Para Miguel Setas, “a entrada da EDP Brasil no segmento de transmissão visou diversificar e complementar a atuação da empresa em todos os segmentos da cadeia de valor do setor elétrico, com rentabilidade adequada e risco controlado”.

UHE São Manoel

Com 91,4% das obras concluídas até o fim de junho, a Usina Hidrelétrica São Manoel está sendo construída na divisa entre os estados de Mato Grosso e Pará, no Rio Teles Pires. Serão cinco unidades geradoras, totalizando 700 MW de capacidade instalada, e o prazo regulatório para entrar em operação é 2018. O empreendimento conta com a parceria de 33% da China Three Gorges (CTG) e 33% de Furnas Centrais Elétricas.

O investimento realizado no segundo trimestre foi de R$ 244,4 milhões, sendo o total aplicado no empreendimento desde o início da construção de R$ 3,1 bilhões.

Investimentos em Inovação

Durante o segundo trimestre do ano a EDP Brasil deu passos afirmativos na área de Inovação, destacam-se duas iniciativas estruturantes. A primeira foi o estabelecimento no Brasil do “Centro de Excelência de Robotização”. Este é um centro de competências, que conta já com 20 pessoas treinadas. A Companhia tem hoje um programa estruturado de robotização de processos administrativos, já com três robôs em funcionamento. “A robotização de processos é uma área onde a EDP Brasil assumiu liderança no setor elétrico, que visa reforçar níveis superiores de eficiência e produtividade, concentrando as nossas equipas em funções de maior valor acrescentado”, comenta Setas.

A segunda iniciativa em destaque no trimestre é o lançamento da incubadora de start-ups, “EDP Starter”. Este é um projeto que a EDP implementou em 2012, em Portugal, e que está sendo lançado agora no Brasil. Estão inscritas 150 empresas proponentes, das quais serão escolhidas 5 que vão ser incubadas no espaço de co-working – WeWork na Avenida Paulista, em São Paulo. As empresas selecionadas poderão vir a ser alvo de investimento pelo fundo de venture capital corporativo da EDP.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia