Magliano Corretora: Recomendação de compra para Isa Cteep

"Boa previsibilidade de receita nos contratos de transmissão da empresa, somado às indenizações do RBSE"

Arquivo: UI

A Magliano Corretora analisou o desempenho financeiro da ISA CTEEP (TRPL4) e segue com a recomendação de compra para os papéis: Compra Preço Justo: R$ 61,92.

A ISA CTEEP (antiga Transmissão Paulista) é responsável pela transmissão de 90% da energia consumida no Estado de São Paulo e 25% do total consumido no Brasil. A companhia nasceu em 1999 com a cisão da CESP, em 2006 teve seu controle adquirido pela ISA, uma das mais relevantes companhias de infraestrutura da américa latina.
O resultado divulgado pela CTEEP neste 3T17 foi marcado pelo início do recebimento da indenização proveniente do RBSE, cujo pagamento será diluído em 8 anos. O valor total a ser recebido pela CTEEP como forma de indenização é de R$ 4,1 bilhões, este valor será corrigido de acordo com regras estabelecidas pela ANEEL na Resolução Normativa no762/2017, de forma que a indenização será paga a CTEEP seguindo o seguinte cronograma:

Resultado divulgado

No 3T17, a CTEEP apresentou uma receita liquida consolidada de R$ 551,3 milhões, entretanto, quando se exclui o efeito do recebimento da receita de indenização do RBSE, a receita liquida da CTEEP ex RBSE somou R$ 225,2 milhões, um ligeiro crescimento de 3,4% em relação aos R$ 217,7 milhões apresentado no 3T16, reflexo principalmente do reajuste mais fraco da RAP (Receita Anual Permitida) que se mostrou mais tímidos por conta de uma menor inflação no país.

Neste 3T17, a CTEEP conseguiu baixar suas despesas administrativas e seus custos com operações e manutenções (O&M) de R$ 125,5 milhões (3T16) para R$ 114,1 milhões, uma economia de 9,1% na comparação anual.

O Ebitda consolidado atingiu R$ 474,1 milhões no 3T17, excluindo – se o efeito do RBSE, o EBITDA do 3T17 foi de R$ 148,0 milhões, aumento de 47% em relação ao mesmo período do ano passado. A margem Ebitda da companhia no trimestre alcançou 87,4%.

Por fim, o lucro líquido da CTEEP no 3T17 atingiu R$ 230,9 milhões, aumento de 398,1% em relação ao 3T16 quando registrou R$ 46,4 milhões, o forte crescimento foi decorrente, principalmente do início do recebimento da RAP do RBSE. Além disso, outros fatores como a compra da aquisição do controle da IENNE com impacto positivo de R$ 38,4 milhões, e a adesão ao PERT – Programa Especial de Regularização Tributária, com impacto positivo de R$ 50,9 milhões, pela redução de multas e juros (REFIS).

Estrutura de capital

A dívida bruta da CTEEP no 3T17 somou R$ 1,771 bilhões, e a dívida liquida R$ 1,328 bilhões, com uma posição de caixa de R$ 443 milhões, suficiente para suprir boa parte das obrigações de curto prazo da empresa.

A CTEEP encerrou o 3T17 com uma relação Dívida liquida / EBITDA = 0,54x, múltiplo extremamente confortável ainda mais tratando-se de uma empresa do setor de transmissão que possui uma receita bastante previsível.

O custo da dívida da CTEEP foi de 8,8%, sendo que o IPCA acumulado no período foi de 2,54% e o CDI ficou em 8,14%. O baixo custo é reflexo da boa gestão do endividamento da empresa.

Opinião

” Recomendamos COMPRA para CTEEP (TRPL4) e a inserimos em nossa carteira de dividendos. Nossa decisão é pautada pela boa performance operacional que a companhia vem apresentando, com uma boa estabilidade em suas margens e seu histórico de distribuição de proventos. Além disso, a boa previsibilidade de receita nos contratos de transmissão da empresa, somado às indenizações do RBSE, tenderão a contribuir de forma relevante para que a CTEEP possa tomar crédito com baixo custo no mercado e continuar sua estratégia de expansão por meio do arremate de novos contratos de concessão”, assinam os analistas da Magliano Corretora.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia