Mercado fio da Copel Distribuição cresce 4,7% no terceiro trimestre

Este relatório analisa o desempenho do mercado de energia elétrica da Copel entre julho e setembro de 2017 e tem como base de comparação os valores observados no mesmo período de 2016

Arquivo:SE

O mercado fio da Copel Distribuição, composto pelo mercado cativo, pelo suprimento a concessionárias e permissionárias dentro do Estado do Paraná e pela totalidade dos consumidores livres existentes na sua área de concessão, apresentou crescimento de 4,7% no consumo de energia no 3T17.

O resultado observado é reflexo, principalmente, do incremento de 5,6% no consumo da classe industrial no ambiente livre no 3T17, resultado da melhora na produção industrial no estado do Paraná – crescimento de 3,2% em julho e 8,8% em agosto, na comparação com os mesmos meses de 2016. Os setores que mais contribuíram para o aumento do consumo de energia foram: fabricação de produtos alimentícios, fabricação de papel e celulose e fabricação de borracha e de material plástico.

Copel Distribuição

Mercado Cativo

A venda de energia para o mercado cativo da Copel Distribuição totalizou 4.729 GWh no 3T17, queda de 10,6%. Esse resultado foi influenciado pela redução do consumo das classes industrial e comercial, devido, principalmente, à migração de clientes para o mercado livre.

A classe residencial consumiu 1.734 GWh entre julho e setembro de 2017, registrando crescimento de 3,5% em função do aumento de 2,3% no número de clientes e do maior consumo médio mensal (158 KWh no 3T17 ante 156 KWh no 3T16). No 3T17, o consumo da classe residencial foi equivalente a 36,7% do mercado cativo, totalizando 3.661.917 consumidores.

A classe industrial registrou queda de 43,7% no terceiro trimestre de 2017, totalizando 773 GWh, reflexo, principalmente, da migração de clientes para o mercado livre. Entre outubro de 2016 e setembro de 2017, 266 clientes deixaram o mercado cativo industrial da Copel Distribuição (30 clientes apenas no 3T17), os quais representariam o consumo de, aproximadamente, 666 GWh no trimestre. Portanto, caso fossem desconsiderados os efeitos da migração de clientes, essa classe teria apresentado crescimento próximo de 4,7% no 3T17. Ao final do 3T17, a classe industrial representou 16,4% do consumo do mercado cativo com 76.717 consumidores.

A classe comercial consumiu 1.102 GWh no terceiro trimestre de 2017, redução de 5,0% em comparação com o mesmo período de 2016. Esse desempenho foi influenciado pela migração de 224 clientes para o mercado livre entre outubro de 2016 e setembro de 2017 (38 clientes somente no 3T17), os quais correspondem a um consumo médio de 120 GWh no trimestre. Desconsiderado o impacto oriundo da migração de clientes, essa classe teria registrado crescimento de 5,3% no 3T17. Ao final desse trimestre, essa classe representava 23,3% do mercado cativo com 387.686 consumidores.

A classe rural registrou acréscimo de 5,1% no consumo de energia no terceiro trimestre de 2017, totalizando 513 GWh. Ao final de setembro de 2017 a classe representou 10,8% do mercado cativo da Copel com 355.748 consumidores.

As outras classes (poderes públicos, iluminação pública, serviços públicos e consumo próprio) totalizaram 607 GWh consumidos entre julho e setembro de 2017, com crescimento de 2,7%. Em conjunto, essas classes representaram 12,8% do mercado cativo, com 57.338 consumidores ao final do 3T17.

Mercado Consolidado da Copel

Fornecimento de Energia Elétrica

O fornecimento de energia elétrica da Copel, que representa o volume de energia vendido aos consumidores finais e é composto pelas vendas no mercado cativo da Copel Distribuição e pelas vendas no mercado livre da Copel Geração e Transmissão e da Copel Comercialização, registrou crescimento de 0,8% entre julho e setembro de 2017.

Total de Energia Vendida

representando um crescimento de 5,4%.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia