Petrobras: Exercício do direito de preferência nas segunda e terceira rodadas de licitação de áreas sob regime de partilha de produção

O valor correspondente ao bônus de assinatura a ser pago pela companhia é de R$ 810 milhões

Ag. Petrobras

A Petrobras apresentou, hoje, ao Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), a sua primeira manifestação formal em relação ao direito de preferência para a segunda e a terceira rodadas de licitações de blocos exploratórios sob o regime de partilha de produção, na forma de  Lei  de 2010 e do Decreto Federal de 2017.

Considerando os parâmetros divulgados nas resoluções do CNPE de 2017, após análise técnica, aprovação pela Diretoria Executiva e deliberação no âmbito do Conselho de Administração, a Petrobras concluiu por exercer o direito de preferência nas seguintes áreas, com o percentual mínimo de 30% em cada área, tendo foco na maximização de valor do seu portfólio:

• Segunda Rodada: área unitizável adjacente ao campo de Sapinhoá;
• Terceira Rodada: Peroba e Alto de Cabo Frio Central.

O valor correspondente ao bônus de assinatura a ser pago pela companhia, considerando que os resultados dos leilões confirmem apenas as participações mínimas acima indicadas em cada bloco, é de R$ 810 milhões. Novas prioridades foram estabelecidas no planejamento, de modo a prever os recursos financeiros para aquisição dessas áreas exploratórias, sem impactos nas métricas durante o período do Plano de Negócios e Gestão 2017-2021.

O posicionamento da Petrobras nestas licitações está alinhado aos fundamentos do seu Plano Estratégico, que prevê a sustentabilidade da produção de óleo e gás, com fortalecimento do portfólio exploratório e atuação em parcerias.

0 acharam esta informação útil

0 não acharam esta informação útil

Assuntos desta notícia